Publicado 05 de Julho de 2015 - 16h22

Por Agência Estado

Jogadoras do Brasil comemoram em Bangcoc: time do técnico José Roberto Guimarães alcança a terceira vitória consecutiva no Grand Prix

Divulgação/FIVB

Jogadoras do Brasil comemoram em Bangcoc: time do técnico José Roberto Guimarães alcança a terceira vitória consecutiva no Grand Prix

A Seleção Brasileira Feminina de Vôlei venceu mais uma neste domingo (5) e manteve o 100% de aproveitamento no Grand Prix. Sob o comando de Juciely, a equipe de José Roberto Guimarães bateu com tranquilidade a anfitriã Tailândia por 3 sets a 0, com parciais de 25/23, 25/18 e 25/13, em Bangcoc.

Com a terceira vitória consecutiva, o Brasil chegou aos nove pontos, na liderança do Grupo A, nesta primeira rodada de disputas na competição. As brasileiras voltarão à quadra agora no dia 16 para seu primeiro jogo no Grupo G, contra a Rússia. A chave terá ainda a Itália e a Bélgica.

Para buscar o novo triunfo, Zé Roberto voltou a contar com Fê Garay entre as titulares, após ter poupado a jogadora na partida anterior. Juciely, Gabi, Joycinha, Carol e Dani Lins completaram a equipe, além da líbero Camila Braitt. Adenízia, Monique, Bárbara, Macris e Mari Paraíba ganharam chance no decorrer do duelo.

Apesar do retorno de Fê Garay, foi Juciely quem brilhou neste domingo. A central anotou sozinha 15 pontos na partida. O Brasil brilhou também com forte desempenho no bloqueio, com 12 pontos no fundamento defensivo.

Diante desta atuação consistente, a Tailândia teve poucas chances neste domingo, apesar do apoio maciço da torcida. As anfitriãs só conseguiram fazer um duelo equilibrado no set inicial, que chegou a marcar 21 a 21 no placar, antes de o Brasil fechar em um apertado 25/23.

A segunda parcial foi mais tranquila para a equipe de Zé Roberto. Aos poucos, o Brasil impôs seu domínio e a Tailândia se rendia. No placar, o time visitante chegou a abrir 19/12 antes de fechar o set e ampliar a vantagem no placar. A terceira parcial seguiu o mesmo caminho. Depois do equilíbrio nos primeiros pontos, o Brasil não foi mais ameaçado até o fim do confronto.

Escrito por:

Agência Estado