Publicado 14 de Julho de 2015 - 18h30

Por Agência Estado

Arthur Zanetti comprovou a sua hegemonia nas Américas e fez ecoar o hino brasileiro pela primeira vez no Toronto Coliseum

France Press

Arthur Zanetti comprovou a sua hegemonia nas Américas e fez ecoar o hino brasileiro pela primeira vez no Toronto Coliseum

A coleção de medalhas do ginasta Arthur Zanetti agora está completa. Nesta terça-feira (14), o brasileiro conquistou o ouro nas argolas nos Jogos Pan-Americanos de Toronto e recebeu a medalha que faltava em sua vitoriosa carreira. Com a nota 15,725, o campeão olímpico de 2012 e mundial em 2013 comprovou a sua hegemonia nas Américas e fez ecoar o hino brasileiro pela primeira vez no Toronto Coliseum.

Zanetti mostrou controle total sobre os movimentos de sua série, a mesma usada na etapa de São Paulo da Copa do Mundo, quando tirou a melhor nota da carreira (16,050). O brasileiro teve de superar adversários qualificados, ainda que o nível da disputa no Pan tenha sido um pouco mais baixo que o Mundial de Nanning, no ano passado. Na ocasião, a nota 15,733 deu a medalha de prata a Zanetti, superado pelo chinês Liu Yang (15,933).

Em Toronto, todos os ginastas tiveram nota acima de 15,000. Assim como na classificação, o norte-americano Donnel Whittenburg fez uma boa prova e os 15,525 pontos exigiram empenho do brasileiro. O cubano Manrique Larduet não deixou por menos e obteve 15,450. Mas Zanetti fez o que era esperado, confirmou o favoritismo e deixou os Estados Unidos com a prata e Cuba com o bronze.

No sábado (11), Zanetti havia tirado 15,800 e se garantido nas finais com uma vantagem confortável sobre os rivais. Na prova final, teve alguns descontos, mas nada que tirasse o brilho de sua prova. No Pan, Arthur também faturou a medalha de prata na disputa por equipes na segunda-feira (13).

Os Jogos Pan-Americanos servem como preparação para o Mundial de Glasgow, na Escócia, que será disputado entre 23 de outubro e 1 de novembro. O Brasil prioriza a disputa por equipes, porque pode classificar time completo para os Jogos do Rio.

MENINAS - Paralelamente no Toronto Coliseum ocorreu a final das barras assimétricas para mulheres. O ouro ficou com Rachel Gowey dos EUA, seguida da venezuelana Jessica Arocha e da também norte-americana Amelia Hundley. O Brasil não se classificou para esta final.

Até aqui, os EUA já conquistaram 10 medalhas na ginástica artística do Pan, sendo cinco de ouro. O Brasil vem em segundo no quadro, com quatro medalhas: um ouro, uma prata, dois bronzes. Canadá, Cuba e Colômbia têm três medalhas cada.

Escrito por:

Agência Estado