Publicado 09 de Julho de 2015 - 21h56

Por Renata Rondini

Anderson Cavalo fez dois jogos pelo Bugre: uma vitória e um empate

Rodrigo Villalba/GFC/Divulgação

Anderson Cavalo fez dois jogos pelo Bugre: uma vitória e um empate

O Guarani tem um duelo de seis pontos contra a Portuguesa no domingo. As duas equipes somam sete pontos no Campeonato Brasileiro da Série C e quem vencer dá um importante passo rumo à classificação, enquanto o perdedor pode se complicar na tabela. Com uma vitória e um empate nas últimas rodadas, o Bugre precisa trazer os três pontos do Canindé para seguir firme nas suas pretensões de brigar pelo acesso.

E a expectativa do atacante Anderson Cavalo é que neste confronto consiga desencantar com a camisa alviverde. "Centroavante vive de gols. São dois jogos que atuei. Consegui ajudar a equipe na marcação como o treinador pediu, mas a bola não entrou. Temos que ter tranquilidade, temos um jogo importante pela frente contra a Portuguesa e que venha a vitória e com o primeiro gol meu com a camisa do Guarani", afirmou.

Já para o goleiro Rafael Santos, ex-Lusa, o duelo de domingo é diferente. "Por todos os problemas que eu tive lá, vai ser um jogo especial para mim, mas respeito o clube. Fiz grandes amigos na Portuguesa, apesar de que a maioria já não trabalha mais no clube. Vou mostrar meu trabalho e agora valorizar a camisa do Guarani. Temos que segurar a Portuguesa lá embaixo. Vencer este duelo direto e quanto mais deixarmos adversários para trás melhor", avaliou.

Na hora do almoço

Para ajuste da grade de TV, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) alterou o horário de mais uma partida do Guarani pela Série C. O jogo contra o Brasil de Pelotas, no próximo dia 19, que estava agendado para as 16h, acontecerá às 11h. Pela terceira vez no campeonato o Bugre irá atuar no horário do almoço.

O goleiro Rafael Santos confessa que ainda não se acostumou em jogar às 11h. "Mais uma vez vamos comer macarrão e frango às 7h30 da manhã, é difícil. Mas é o que o calendário pede e temos que nos acostumar. Mas é complicado acordar e já ter que encarar um prato de comida."

Escrito por:

Renata Rondini