Publicado 04 de Julho de 2015 - 21h21

Por Carlo Carcani

O jornalista Carlo Carcani Filho

Ércia Dezonne/AAN

O jornalista Carlo Carcani Filho

O primeiro domingo de julho marca a volta do Guarani ao Brinco de Ouro — onde não se apresenta desde 31 de maio — e também uma experiência da Ponte Preta, que abriu mão de atuar no Moisés Lucarelli contra o Palmeiras para faturar com a venda de seu mando de jogo.

O Guarani que empatou com o Tupi na última partida em casa deve ser bem diferente neste domingo. As mudanças na formação titular são poucas, mas o time já conta com um banco mais qualificado, com reservas capazes de contribuir para a conquista de um resultado positivo no segundo tempo.

A mudança mais significativa também está no banco. Ademir Fonseca foi demitido após o empate com o Tupi e Paulo Roberto comandou o Bugre nos dois jogos seguintes, em Caxias e Tombos. Empatou com o Juventude, ganhou do Tombense e deu à torcida a esperança de uma campanha melhor na Série C, depois de um início desastroso. Os bons resultados fora de casa e a aparente evolução tática da equipe dão ao Guarani a condição de favorito no confronto das 11h deste domingo, contra o Madureira.

A Macaca só entrará em campo às 18h30 e, apesar de mandante, não será favorita. Embora reconheça que é importante arrecadar mais, acho que a Ponte Preta cometeu um equívoco ao vender o jogo para a Roni7, organizadora do evento na Arena Pantanal.

O primeiro motivo é técnico. No Moisés Lucarelli, o time de Guto Ferreira tem aproveitamento de 83,3% e saldo positivo de quatro gols. Fora de Campinas, o aproveitamento é de apenas 33,3% e o saldo é de -1. É evidente que a Ponte pode ganhar em Cuiabá, assim como poderia perder em Campinas. Mas as chances de vitória são bem maiores quando a equipe se apresenta em casa. Além disso, o campeonato está entrando numa fase de duas partidas por semana e a Ponte terá que enfrentar uma viagem longa, com menos tempo de treino e recuperação, num final de semana que antecede uma partida em Curitiba.

Mas o fator que a diretoria realmente deveria levar em consideração para não vender o mando é que, na verdade, esse jogo já foi vendido. Todo pontepretano que se transforma em sócio-torcedor o faz sabendo que poderá ir a todos os jogos do time no Moisés Lucarelli. E o jogo deste domingo, contra um reformulado Palmeiras, está entre os melhores da temporada.

São dois fatores que a diretoria da Ponte Preta deve levar em consideração antes de fazer dinheiro dessa forma outra vez. O valor arrecadado é tentador, mas é preciso pensar também na campanha e no sócio-torcedor.

Escrito por:

Carlo Carcani