Publicado 14 de Julho de 2015 - 10h41

Por Da Agência Anhanguera

1º: ESTAÇÃO CULTURA

AAN

1º: ESTAÇÃO CULTURA

Foto: AAN.

SETE MARAVILHAS DE CAMPINAS: Estação Cultura, Catedral Metropolitana, Lagoa do Taquaral, Prédio do Jockey Club, Mercadão, Escola de Cadetes, Torre do Castelo

SETE MARAVILHAS DE CAMPINAS: Estação Cultura, Catedral Metropolitana, Lagoa do Taquaral, Prédio do Jockey Club, Mercadão, Escola de Cadetes, Torre do Castelo

 

Nos quatro cantos da cidade é possível encontrar história, cultura, natureza e diversão. As maravilhas, selecionadas entre tantos outros tesouros de um lugar que respira ares de metrópole e conta com uma população superior a 1 milhão de habitantes, estão aí para serem descobertas e aproveitadas por todos. Seja bem-vindo a essa terra que sempre soube surpreender e acolher bem. A paisagem, com certeza, será de encher os olhos. Confira:

Foto: AAN.

1º: ESTAÇÃO CULTURA

1º: ESTAÇÃO CULTURA

Foto: AAN.

2º: CATEDRAL METROPOLITANA

2º: CATEDRAL METROPOLITANA

Foto: AAN.

3º: LAGOA DO TAQUARAL

3º: LAGOA DO TAQUARAL

Foto: AAN.

4º: PRÉDIO DO JOCKEY CLUB

4º: PRÉDIO DO JOCKEY CLUB

Foto: AAN.

5º: MERCADÃO

5º: MERCADÃO

Foto: AAN.

6º: ESCOLA DE CADETES

6º: ESCOLA DE CADETES

Foto: AAN.

7º: TORRE DO CASTELO

7º: TORRE DO CASTELO

Outras finalistas:

Praça Carlos Gomes

Monumento-túmulo de Carlos Gomes

Rio Atibaia

Área de Proteção Ambiental (APA) Sousas/Joaquim Egídio

Parque Ecológico

Mata Santa Genebra

Bosque dos Jequitibás

Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Figueira do Cambuí

Complexo Ferroviário

Instituto Agronômico (IAC)

Teatro de Arena

Palácio dos Azulejos

Distrito de Joaquim Egídio

Daqui e dali, não faltam tesouros:

Lago, praça, rio, monumento... Esquecemos de alguma coisa? Provavelmente! A lista pode ser ainda mais completa, o que falta é espaço para tantos cartões-postais.

Lago do Café

A área do Lago do Café é remanescente da antiga sesmaria de Francisco Barreto Leme, fundador oficial da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso, em 1774, origem da cidade. A área verde tem 330 mil metros quadrados.

Praça Carlos Gomes

Localizada na Avenida Irmã Serafina, a praça recebeu o nome de Carlos Gomes em 1880. O local era utilizado na época por lavadeiras que estendiam roupas pelo capinzal depois de lavá-las no chafariz da praça. Ainda hoje é uma das principais áreas de lazer no Centro de Campinas.

Rio Atibaia

O Rio Atibaia é formado pela junção dos rios Atibainha e Cachoeira, que acontece entre os municípios paulistas de Bom Jesus dos Perdões e Atibaia, sendo que as nascentes do Rio Cachoeira encontram-se no Estado de Minas Gerais. O Atibaia abastece 95% da população da cidade de Campinas.

Teatro de Arena

Estrutura a céu aberto com capacidade para aproximadamente cinco mil pessoas situada na Praça Imprensa Fluminense, mais conhecida como Centro de Convivência Cultural (CCC). O local é normalmente utilizado para shows gratuitos e celebrações religiosas, como o Corpus Christi católico e cultos evangélicos. Nos fins de semana, o entorno do local abriga uma feira de artesanato e alimentação, além de ações artísticas variadas.

Figueira do Cambuí

Árvore secular encravada no coração do bairro Cambuí. Um importante cartão-postal natural da cidade.

Estação Anhumas

A antiga estação ferroviária é conhecida por oferecer o histórico e romântico passeio de Maria-Fumaça, que segue de Campinas até a vizinha cidade de Jaguariúna. O importante passeio turístico é realizado com o apoio da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF). Quem já participou de uma dessas viagens diz que elas são inesquecíveis. Um trabalho de manutenção das antigas características da Estação são um atrativo a mais para os visitantes, que vivem uma bela volta ao passado por algumas horas.

Academia Campinense de Letras

A Academia Campinense de Letras foi fundada no dia 17 de maio de 1956 e está sediada na Rua Marechal Deodoro, 525. Seu edifício foi construído pela municipalidade na gestão do então prefeito Lauro Péricles Gonçalves. Um importante centro de memória e cultura da cidade.

Monumento ao Bicentenário

Localizado na Avenida Anchieta, dentro do Largo das Andorinhas, o monumento foi concebido pelo escultor Lélio Coluccini. Executado em concreto aparente, possui em sua parte frontal uma figura coroada de mulher em bronze, segurando o brasão de Campinas. A figura representa a “Princesa d'Oeste”.

Colégio Carlos Gomes

O edifício inaugurado em 14 de abril de 1924, sob projeto do arquiteto César Marchisio, é marcado pelo ecletismo predominante na arquitetura do início do século passado. Em estilo neorenascentista, utiliza uma série de elementos decorativos e de composição, além de alguns ornamentos como o relógio e o gradil da entrada principal. Em 1936, a então Escola Normal passou a se chamar Carlos Gomes.

Templo Mórmon

Impactante estrutura localizada às margens da Rodovia Heitor Penteado, no caminho para o distrito de Sousas, este templo chama a atenção mesmo de quem está muito distante. A escultura totalmente dourada de três metros de altura do anjo Moroni, símbolo dos mórmons, reluz no alto da obra magnífica, a 45 metros do solo.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera