Publicado 13 de Julho de 2015 - 11h35

Por France Presse

A Miss Oklahoma, Olivia Jordna, levou as honras do concurso

AFP

A Miss Oklahoma, Olivia Jordna, levou as honras do concurso

Foto: AFP.

A Miss Oklahoma, Olivia Jordna, levou as honras do concurso

A Miss Oklahoma, Olivia Jordna, levou as honras do concurso

A Miss Estados Unidos foi coroada no domingo depois que o desfile foi ignorado pelas grandes redes após os polêmicos comentários sobre os imigrantes mexicanos proferidos pelo candidato presidencial Donald Trump, coproprietário do concurso Miss Universo.

A Miss Oklahoma, Olivia Jordna, levou as honras do concurso.

O concurso de beleza ficou sob fogo depois que Trump afirmou, ao lançar sua candidatura para obter a nomeação do Partido Republicano para as eleições presidenciais de 2016, que o México enviava criminosos aos Estados Unidos.

A emissora NBC e a Univisión, que transmite em espanhol, se desvincularam do concurso e um co-apresentador se retirou, mas o desfile foi realizado de qualquer forma e incluiu muitas candidatas com laços com o México.

O desfile foi transmitido pelo canal a cabo Reelz.

Embora o tema migratório e os comentários de Trump não tenham sido mencionados, as participantes precisaram responder sobre temas da atualidade.

A nova Miss EUA respondeu em uma das perguntas que as relações interraciais eram o principal assunto que os Estados Unidos devem abordar.

"Realmente precisamos trabalhar para ser uma sociedade tolerante, para ser uma sociedade na qual cada pessoa, sem importar raça, sem importar gênero, tenha os mesmos direitos e privilégios e oportunidades", disse a modelo no desfile realizado em Baton Rouge, Louisiana.

Trump não assistiu ao concurso de beleza, indicando pelo Twitter que estava fazendo campanha no Arizona.

O magnata disse em meados de junho, ao anunciar sua candidatura, que "quando o México envia suas pessoas, não envia as melhores" aos Estados Unidos.

"Estão trazendo drogas, crimes e seus estupradores", acrescentou Trump, que propôs construir uma muralha na fronteira e forçar o México a financiá-la.

O governo mexicano rejeitou as declarações "preconceituosas e absurdas" de Trump.

A Univision, a rede líder entre os latinos e uma das mais vistas nos Estados Unidos, rompeu com a organização Miss Universo de Trump, e o magnata também perdeu negócios com a rede NBC e as lojas Macy's.

Escrito por:

France Presse