Publicado 06 de Julho de 2015 - 17h28

Por Marita Siqueira

doses

Adriano Rosa/Especial para a Metrópole

doses

Foto: Adriano Rosa/Especial para a Metrópole

O incansável Vanilson

O incansável Vanilson

Desde 1999 no Jardim Leonor, o Nosso Cantinho – ou, simplesmente, Bar do Vanilson – carrega uma amistosidade singular. No tempo de um gole de cerveja, o cidadão se sente integrado ao ambiente e algo que era para ser comum (mas não é), como cumprimentar as pessoas, torna-se de uma grandeza imensa. Como bem disse meu amigo e companheiro de empreitada, o fotógrafo Adriano Rosa, a gente se sente como se estivesse no quintal de casa. Acrescento a isso o fato de os “vizinhos” serem bem-vindos para uma cordial contemplação da boemia.

Numa rua quase escondida, as luzes claras do interior do boteco reluzem na penumbra do asfalto. Mesas e cadeiras são de madeira, daquelas que pouco se veem hoje em dia, pois a maioria foi substituída pelas de plástico, estampadas com a marca de alguma cerveja. O espaço tem duas grandes TVs para os dias de futebol e, no balcão, potes de conservas e a estufa de salgados, que podem não ser atraentes no visual, mas são necessárias para a arquitetura de um digno botequim.

Foto: Adriano Rosa/Especial para a Metrópole

Lanche de linguiça

Lanche de linguiça

Vanilson nos ofereceu um banquete condizente à qualidade do ambiente. Posso dizer que experimentei um pouco de cada “iguaria” para melhor descrevê-las, caro leitor. Comecei com um lanchinho de linguiça e queijo meia-cura no pão francês. Depois, veio o turbinado caldo Vaca Atolada (filé de costela, mandioca e calabresa), capaz de curar qualquer ressaca. Para finalizar, espetinho de coração e pão de alho (o pão é sensacional!). Além de saborosos, me chamou a atenção a delicadeza na organização do prato. O caldo, por exemplo, vem com potinhos de queijo ralado e torresmo. As pimentas, de cheiro ou “nervosa”, são complementos fundamentais.

Foto: Adriano Rosa/Especial para a Metrópole

Caldo Vaca Atolada

Caldo Vaca Atolada

Tanto cuidado se explica numa breve conversa com Vanilson. O prazer dele em reger o bar é evidente. Ele trabalha de segunda a sexta como representante de materiais de construção antes de abrir as portas do boteco, às 16h, sem hora certa para fechar. Nos fins de semana, o trabalho na birosca começa ao meio-dia. Sem pausa, de segunda a segunda. Ah, um adendo: às sextas, a casa ganha movimento extra com o show de Dynno & Diego tocando música sertaneja tradicional. Diego é filho do cantor Milionário, que fazia dupla com José Rico, morto em março.

BAR DO VANILSON

Rua Padre Leonel França, 161, Jardim Leonor,

f. (19) 99702-3910. Aberto de segunda a

sexta-feira, a partir das 16h; sábado e

domingo, das 12h às 21h

Escrito por:

Marita Siqueira