Publicado 14 de Julho de 2015 - 5h30

Em meio a um cenário de queda nos emplacamentos de veículos novos, as vendas de seminovos e usados cresceram 4,1% no primeiro semestre deste ano em relação a igual período de 2014, mostram dados são da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), divulgados ontem. De janeiro a junho, foram comercializados 4,979 milhões de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus usados, ante 4,783 milhões nos seis primeiros meses de 2014. Apenas em junho, foram vendidos 887,8 mil veículos, 3,97% a mais do que em maio. Na comparação com junho do ano passado, quando as vendas foram prejudicadas pela Copa do Mundo, o crescimento foi de 18,02%. Em nota, a Fenauto destaca que os números mostram que o ritmo de comercialização de usados vem se mantendo “estável em patamares positivos”, apesar o cenário de crise do setor.“A federação está satisfeita com os resultados obtidos, em meio a um cenário econômico difícil enfrentado por praticamente todos os segmentos”, ressaltou o presidente da entidade, Ilídio dos Santos.O resultado também foi comemorado em função da dificuldade cada vez maior na obtenção de crédito - praticamente todos os negócios fechados pelo setor automotivo, tanto no segmento de usados quanto de novos, depende de financiamentos.Além de mais seletivo, o crédito também está mais caro em função das constantes elevações da taxa básica de juros, a Selic, que é repassada pelos bancos e financeiras ao consumidor final.Apesar disso, os números mostram que, pelo menos no setor de usados, ainda há algum fôlego.Novos

Já no caso dos zero quilômetro, a situação é mais complicada. Dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) mostram que os emplacamentos de veículos novos caíram 20,7% no primeiro semestre deste ano, totalizando 1,31 milhões de unidades. Somente em junho, foram emplacados 212,5 mil veículos, queda de 0,1% ante maio e de 19,4% na comparação com junho de 2014. (Da Agência Estado)