Publicado 08 de Julho de 2015 - 5h30

O secretário de Energia de São Paulo, João Carlos Meirelles, revelou ontem que a Cosan e a Shell, controladoras da distribuidora de gás Comgás, confirmaram a intenção de investir na construção de um gasoduto que trará combustível do pré-sal da bacia de Santos para São Paulo. O modelo acionário do projeto, contudo, ainda não está definido. O presidente da Cosan, Marcos Lutz, limitou-se a dizer que a companhia “pode ter participação” no projeto, mas não vinculou obrigatoriamente essa participação ao aporte de recursos. O projeto está estimado em R$ 8 bilhões.A expectativa do governo de São Paulo é de que o gasoduto esteja em operação dentro de sete anos - seriam dois anos para a estruturação do projeto e o cumprimento de questões burocráticas e cinco anos para a construção do gasoduto em si. Lutz pondera, contudo, que o cronograma do gasosuto pode estar vinculado ao plano de investimentos da Petrobras. Caso a estatal postergue o aumento da produção de petróleo no pré-sal de Santos, a oferta de gás, associado à produção do petróleo, também pode ser menor do que aquela projetada inicialmente.O gasoduto deve praticamente dobrar a oferta de gás no Estado, com a adição de 15 milhões de metros cúbicos diários de gás. Até a conclusão do projeto, o governo de São Paulo e as empresas envolvidas no empreendimento, conhecido como “Rota 4”, podem optar pela utilização de gás natural liquefeito (GNL) importado. O insumo seria regaseificado em uma unidade da Petrobras no Rio de Janeiro e, em uma operação de swap, a Petrobras viabilizaria o aumento da oferta de gás em território paulista.Térmicas

O aumento da oferta de gás em São Paulo também é considerado fundamental para a viabilização de outro projeto anunciado também ontem pelo governo paulista: a construção de seis termelétricas em uma área pertencente à Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae), na capital paulista. Cada unidade teria capacidade de 250 MW e demandaria investimento de R$ 800 milhões a R$ 1 bilhão. (Da Agência Estado)