Publicado 06 de Julho de 2015 - 5h30

Pacientes que nasceram ou perderam a capacidade do sistema imunológico de combater doenças infecciosas terão mais qualidade de vida. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a venda da imunoglobulina subcutânea, proteína que exerce a função de anticorpos. O único tratamento existente era com injeção intravenosa. A nova técnica dispensa horas de aplicação e a necessidade de o paciente ir ao hospital mensalmente para reposição de anticorpos. A substância pode ser aplicada em casa uma vez por semana. A opção representa mais qualidade de vida para a pequena Bárbara Marques da Costa, 6 anos, que sofre com a síndrome de DiGeorge. A mãe de Bárbara, Kátia Marques, explicou que a filha já ficou sem receber a medicação pela dificuldade de mantê-la imóvel por muito tempo e de encontrar a veia. “A aplicação subcutânea é muito mais confortável, menos estressante porque são crianças que, pela baixa imunidade, devem evitar sair muito e permanecer em aglomeração que existe no hospital.” (Agência Brasil)