Publicado 02 de Julho de 2015 - 5h30

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista subiu 1,2% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal. Na série sem ajuste, a elevação foi de 2%, informou ontem a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).Na comparação de maio com o mesmo mês de 2014, na série sem ajuste sazonal, o indicador caiu 7,7%. No acumulado do ano, o INA registrou queda de 3,6% ante os cinco primeiros meses de 2014. No acumulado em 12 meses, as perdas chegam a 4,8%.Segundo o diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp e do Ciesp, Paulo Francici, a variação positiva em maio se deve à base de comparação muito baixa em abril. “Comparamos maio com um outro mês que foi muito fraco. Mas se compararmos com o mesmo mês em outros anos, vemos que o crescimento de maio é muito modesto, porque este costuma ser um bom mês”, disse.A variação do mês de maio versus abril é uma das mais baixas da série histórica da pesquisa, iniciada em 2001. Mesmo em 2009, ano da crise financeira global, o desempenho industrial registrou um avanço mensal superior ao resultado de 2015, na série sem ajuste sazonal. “Não podemos interpretar a pequena alta como, talvez, um processo inicial de recuperação, ou que o pior já passou. Seria um engano. Nossa perspectiva para o ano mantém-se muito ruim, com o aprofundamento da crise no segundo semestre”, afirmou Francini. O Depecon projeta uma queda de ao menos 5% para a atividade industrial paulista em 2015.Químicos

O setor de produtos químicos se destacou na pesquisa, com ganho de 0,7% em maio sobre abril, impulsionado por aumento de 3,1% em vendas reais. As exportações do setor também corroboram o desempenho positivo do segmento. Já no campo das perdas, destaque para a indústria de minerais não metálicos, que registrou queda de 1,5%. O saldo negativo de 1,9% em horas trabalhadas foi uma das influências negativas ao desempenho do setor.O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) ficou em 79% em maio, ante 80,6% de maio de 2014 e 78,9% de abril, na série sem ajuste. Já na medição com ajuste, o Nuci do mês passado foi de 78,9%, ante 79,8% de maio de 2014 e 78,8% de abril de 2015. (Da Agência Estado)