Publicado 15 de Julho de 2015 - 5h30

O Departamento Municipal de Parques em Jardins (DPJ) extraiu desde o início desse ano 14 árvores ao longo da Avenida Dr. Moraes Salles, entre o Viaduto São Paulo (Laurão) e a Avenida Jesuíno Marcondes, no bairro Nova Campinas. As espécies, segundo o órgão, estavam condenadas e ofereciam risco a pedestres e motoristas, e foram substituídas com o plantio de mudas de ipês-rosa.

Na manhã de ontem, funcionários de uma empresa terceirizada retiraram outras duas árvores, de uma espécie considerada “invasora”, segundo técnicos do DPJ. As imagens do momento da poda ganharam as redes sociais, desaprovando a ação da Prefeitura, principalmente no aniversário de 241 anos de Campinas. Entretanto, o órgão explicou que as espécies estavam inclinadas e com risco de queda sobre as pistas da Moraes Salles.

As demais 12 árvores estariam comprometidas, e foram substituídas com o plantio de 35 mudas de ipê-rosa ao logo de um trecho de aproximadamente 1km da via. “As espécies fora extraídas seguindo um protocolo técnico, e em contrapartida foi feito o mais que o dobro em plantio”, afirmou o departamento, por meio da assessoria de comunicação.

A ação faz parte do Projeto Flores, que tem o objetivo de renovar o colorido dos canteiros centrais de vias públicas e dos jardins da cidade. Trechos das avenidas Miguel Vicente Burnier, Orosimbo Maia, Via Norte-Sul, Prestes Maia e da própria Moraes Salles estão recebendo replantio das mudas de plantas ormamentais, além de limpeza e manutenção. São mais de 50 mil mudas de flores amarelas, vermelhas, laranjas, lilás e brancas, além de árvores, todas produzidas no Viveiro Municipal, localizado no Parque Xangrilá. (Da Agência Anhanguera)