Publicado 14 de Julho de 2015 - 5h30

Nosso governador Geraldo prometeu em sua campanha que faria uma revisão nos valores dos pedágios cobrados no Estado de São Paulo, porque também achava injusto o preço cobrado pelas concessionárias,

Convenceu a todos, inclusive a mim e votei nele com muita certeza, não só por suas promessas a respeito dos pedágios, mas também porque era mais preparado que os outros candidatos para governar um Estado dessa magnitude.

Não só deixou de cumprir sua promessa como autorizou mais um aumento.

O Estado governado por Geraldo tem hoje 146 praças de pedágio, entregues a 26 concessionárias, que cobram tarifas exorbitantes. As estradas estão bem cuidadas e são as melhores do Brasil, mas o que se pergunta é se o preço cobrado é justo.

Os contratos de concessão foram firmados para viger durante décadas e não se observou o custo-benefício dos usuários, que pagam uma fortuna para usufruir de poucos trechos de uma estrada.

Na região metropolitana de Campinas isso é sentido de forma clara e incontestável, mas lamentavelmente não temos representantes na Assembleia Legislativa para nos defender. A deputada Célia Leão, por exemplo, completará vinte e quatro anos de mandato sem produzir absolutamente nada de útil para o povo paulista e jamais se rebelará contra essa política errada e perniciosa na questão dos pedágios.

A única deputada da região que se preocupou com a questão dos pedágios foi Ana Perugini, hoje deputada federal, que conseguiu aprovar uma lei obrigando a todas as 26 concessionárias das rodovias paulistas que publiquem anualmente seus balanços, informando a arrecadação de cada trecho administrados por elas, os investimentos realizados, as despessa suportadas e o lucro auferido em cada praça de pedágio.

Não sei se essa determinação está sendo cumprida. Provavelmente não. Acredito, entretanto, que esse é um instrumento que dará subsídios ao nosso governador para discutir com as concessionárias o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos e cumprir suas promessas de campanha.

Não bastasse a farra dos pedágios temos agora a denúncia feita pelo Correio Popular de que radares estão sendo escondidos nas rodovias da região ferindo uma resolução do Contran determinando que os aparelhos fiquem visíveis. Para o DER e concessionárias é muito mais importante multar do que prevenir possíveis abusos dos motoristas.

Depois o povo se revolta quebrando tudo, praças de pedágio e radares e é chamado de vândalos.