Publicado 10 de Julho de 2015 - 5h30

Dois policiais militares à paisana foram baleados e um deles ficou gravemente ferido durante uma troca de tiros com outros policiais militares em patrulhamento pelo Jardim Maria Luiza, em Sumaré, anteontem à noite. Os feridos estavam em um Celta com placas de São Roque (SP), adulteradas com fitas adesiva. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-SP) informou que os PMs à paisana estão sendo autuados em flagrante por crime militar, por terem trocado tiros e atentado contra a vida dos PMs que estavam em serviço. Eles seguirão para o Presídio Romão Gomes. A Corregedoria da Polícia Militar vai apurar o motivo que levou os policiais a atirarem. A Polícia Civil também irá instaurar inquérito policial na Delegavia de Investigações Gerais (DIG) de Americana para investigar a tentativa de homicídio.

O boletim de ocorrência não foi liberado para a imprensa, mas a reportagem apurou que o Celta era ocupado por quatro policiais, sendo três do batalhão da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) de São Paulo e o outro do Batalhão de Ações Especiais (Baep) de Campinas. O grupo estaria “investigando” um suspeito no bairro quando houve trocas de tiros. Duas viaturas da PM em serviço subiam a mesma rua onde estava o Celta quando ouviram disparos. Os policiais seguiram rumo ao tiroteio e avistaram os quatro policiais, que estavam vestidos como civis, saindo de uma casa e entrando no veículo. O quarteto estava encapuzado e armado de pistolas e armas de calibre longo, como fuzil e 12. Na fuga, eles atiraram contra os policiais, que revidaram. Até então, os PMs não sabiam que se tratavam de policiais à paisana.

Na perseguição, uma das viaturas bateu em um barranco. Os policiais perderam o Celta de vista, mas passaram as características do veículo para o Copom, o centro de operações da polícia. Pouco tempo depois, policiais de Paulínia localizaram o Celta na cidade e abordaram os ocupantes. Dois dos policiais estavam baleados, foram socorridos e levados ao Hospital Municipal de Paulínia. Não foi informado o estado de saúde dos dois. Uma das vítimas é da base de Campinas.

Palio

Durante as buscas pelo Celta, o Copom de Sumaré foi informado que um Palio transitava em alta velocidade pela Avenida da Amizade, em Nova Veneza. Viaturas conseguiram abordar o veículo, onde estavam dois rapazes. Um deles, um pintor de 22 anos, estava ferido nas costas e na clavícula. O rapaz teria alegado que estava em sua casa quando foi abordado por quatro homens. (Alenita Ramirez/Da Agência Anhanguera)