Publicado 10 de Julho de 2015 - 5h30

Um ônibus com cerca de 50 mulheres parte de Campinas na manhã de hoje para participar da 4 edição da Ação Internacional da Marcha das Mulheres, que este ano acontece em Registro, na região do Vale do Ribeira (SP). A expectativa é reunir mais de 500 mulheres de diferentes regiões do Estado de São Paulo e Paraná para dois dias de agenda, que inclui formação política feminista, oficinas temáticas, batucada e mobilização pública em defesa dos “territórios das mulheres”, compostos, segundo os organizadores, por seu corpo, pelo lugar onde vivem, trabalham e desenvolvem suas relações comunitárias e sua história. O evento será hoje e amanhã.

O movimento está presente em 96 países e, diferente de outros anos, em que a Ação Internacional da Marcha Mundial das Mulheres uniram representantes de todo o país em ação única, a edição de 2015 tem o objetivo de fortalecer as mulheres das diferentes regiões.

No Vale do Ribeira, região mais pobre do Estado de São Paulo, as atividades da Ação Internacional da MMM chamarão as mulheres da região a refletirem e discutirem sua autonomia econômica e a mercantilização da natureza. “Afirmaremos a economia solidária, a agroecologia, as experiências, o conhecimento e práticas cotidianas das mulheres da região como caminho alternativo para o modelo vigente de produção, reprodução e consumo”, explica Rosana Rocha, uma das organizadoras locais da ação.

A ação foi construída coletivamente com grupos de mulheres da região que, nos encontros temáticos levantaram os temas, como a economia solidária e a comercialização, pelas mulheres, do que produzem, a violência doméstica, a resistência às barragens no Rio Ribeira, a resistência mineradora, a titulação dos quilombos, entre outras. Duas ações descentralizadas já aconteceram este ano, em Tocantins e em Minas Gerais. (Da Agência Anhanguera)