Publicado 09 de Julho de 2015 - 5h30

Mergulhar na fantasia de um livro e se deixar levar por seus encantos conquista não apenas os adultos. Os pequenos se deliciam com a abordagem dedicada especialmente para eles, que ficam inertes em um momento de rara concentração. Ao apostar nessa tática, a editora campineira Allan Kardec uniu o útil ao necessário quando decidiu criar o selo infantil Arca do Leão, voltado à preocupação com o meio ambiente e valores morais, porém, sem conotação religiosa.

Fundada em 1999, a editora já ensaiava ações para atingir o público infanto-juvenil, visto que era uma demanda antiga. Em 2001, em uma reunião entre a diretoria e o escritor especializado em literatura infantil Ademar Lopes Jr., foi solicitado ao autor um livro sobre o tema e feito de papel reciclado.

Assim que o Viravirou saiu do forno, abordando a reciclagem, o sucesso foi uma questão de tempo. Não demorou muito para investir nessa linha de livros educativos que mais tarde, em 2003, se tornaria a linha de mais destaque da editora. A Arca do Leão não contempla somente livros sobre a natureza, o leitor pode também optar por obras como Julio Rei e a Moeda Mágica, que fala sobre valores éticos.

Segundo Sueli Rodrigues, consultora, os livros são de excelente conteúdo editorial, podem ser adquiridos no formato de gibi, apresentam ótimo acabamento gráfico e as ilustrações são assinadas pela Pandora Design. “Como dispomos de um bom estoque, estamos em busca de uma parceria com alguma instituição ou empresa voltada à educação e preservação ambiental para fazer com que os livros cheguem a crianças de escolas e comunidades carentes”, convida a consultora.

Voltado para o público de 3 a 12 anos, as obras, com 24 páginas em média, falam do relacionamento do homem com o meio ambiente. O Viravirou - Uma História de Reciclagem conta a história de uma semente que cai na terra, vira árvore, vira livro, vira lixo, é reciclada e vira livro de novo. Já Nadine – Uma Gota no Oceano aborda a necessidade do ser humano proteger a água e, ao mesmo tempo, mostra todo o ciclo da água. E, por fim, Riomar tem como personagem um rio medroso e tem como objetivo destacar o valor da coragem e a importância de caminhar com confiança e de contemplar a natureza.

Com um total de quatro títulos, sendo três focados na sustentabilidade, a coleção tem um efeito multiplicador, pois, além de fomentar a educação ambiental, os livros se convertem em recursos para as cinco obras socioassistenciais do Centro Espírita Allan Kardec (Ceak). Os escritores também contribuem ao doar os direitos autorais das obras à editora. Outra iniciativa da editora tem sido a divulgação do selo com um intenso trabalho de divulgação em escolas e secretarias de Educação de Campinas e cidades da região metropolitana. “Sabemos que a escola 14 Bis adotou o nosso Viravirou como um dos livros a serem estudados dentro do projeto da escola sobre reciclagem. Recentemente, fiz um contato com a Green Nation e eles responderam, dizendo que gostaram muito”, comemora Sueli.

Vendas financiam creches, educandário e obras sociais

Toda a renda obtida com a editora Allan Kardec, a Panificadora Bambini e o Tudo Serve — que arrecada doações — é revertida para o Instituto Popular Humberto de Campos, que oferece atendimento a crianças, algumas em período integral; ao Educandário Eurípedes, que assiste adolescentes e adultos nos cursos profissionalizantes e adolescentes no Projeto Aprendiz; as creches Mãe Luíza e Gustavo Marcondes, e a Casa de Apoio à Vida, esta última de acompanhamento global a gestantes adolescentes e adultas, e também a suas famílias. Ao todo, por ano, são atendidas 500 crianças, 400 adolescentes, 200 adultos e 290 gestantes. (VT/AAN)