Publicado 08 de Julho de 2015 - 5h30

Mais de 2,3 milhões de veículos devem passar pelas principais rodovias da Região Metropolitana de Campinas (RMC) durante o feriado prolongado da Revolução Constitucionalista de 1932. O Aeroporto de Viracopos e o Terminal Rodoviário também esperam aumento no fluxo de passageiros. As concessionárias farão operações especiais. O policiamento ostensivo, assim como as fiscalizações de trânsito nas estradas serão intensificadas pelas polícias por meio da Operação Revolução Constitucionalista de 1932-2015, que será desencadeada hoje e prossegue até as 23h59 de domingo. A previsão é que o tráfego de saída fique intenso hoje, das 16h às 23h, e amanhã, das 5h às 14h. Já o retorno deve movimentar um maior número de veículos das 14h às 22h do domingo. A perspectiva de maior movimento é nas rodovias que levam ao Litoral e ao Interior do Estado. A AutoBAn espera a circulação no Sistema Anhanguera-Bandeirantes de aproximadamente 880 mil veículos, entre saída e chegada à Capital, no período de cinco dias, de hoje até domingo. A previsão de tráfego no Corredor D. Pedro I — da passagem de pouco mais de 683 mil veículos — vale para o mesmo período.

Nas rodovias administradas pela AB Colinas devem passar 619 mil veículos no feriadão, entre os quais 203 mil devem acessar a Rodovia Santos Dumont (SP-75). Já a Renovias estima que pelo menos 115 mil veículos devem passar pela pista Norte da Praça de Pedágio Jaguariúna (sentido Sul de Minas) durante o feriado prolongado.

O Aeroporto de Viracopos, que tem uma movimentação diária de 27 mil passageiros, estima um aumento de 10% no fluxo.

A Socicam Terminais de Passageiros, empresa que administra o Terminal Multimodal Ramos de Azevedo, estima que 23 mil pessoas deixarão Campinas pela rodoviária entre hoje e amanhã. Até segunda-feira, dia 13, 135 mil pessoas passarão pelo terminal. Para dar conta da demanda será implantada uma operação especial, que contará a partir de hoje com aumento no quadro de funcionários das áreas de operação, limpeza, manutenção e segurança. Os destinos mais procurados eram Praia Grande, São Paulo, Jundiaí e Americana. (Inaê Miranda/Da Agência Anhanguera)