Publicado 08 de Julho de 2015 - 5h30

Um clipe em homenagem ao do funkeiro Daniel Pedreira Sena Pellegrini, o MC Daleste, lançado ontem, marcou os dois anos da morte do artista esta semana. Aos 20 anos, Daleste foi assassinado a tiros enquanto fazia um show no CDHU do bairro San Martin, em Campinas. O caso começou a ser investigado em Campinas e foi transferido para São Paulo, mas até o momento continua sem esclarecimento. O clipe lançado na Zona Leste da Capital — onde o músico vivia — teve a participação da família, dos amigos e dos fãs de Daleste. Além da homenagem, o clipe teve como objetivo cobrar justiça.A morte do funkeiro, no dia 6 de julho de 2013, foi registrada em diversos vídeos e teve repercussão internacional na época. Ontem, o assunto era um dos mais comentados no Twitter. Muitas pessoas cobravam respostas. No ano passado, o Departamento Estadual de Homicídio e de Proteção à Pessoa (DHPP) decretou sigilo do caso. Procurada ontem, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) informou apenas que o inquérito policial está no Fórum de Campinas com pedido de dilação de prazo. E voltou a repetir que está sob segredo de Justiça e que as investigações, feitas pelo DHPP, prosseguem.A advogada da família de Daleste, Patrícia Vega, afirmou que não podia comentar o andamento das investigações por se tratar de segredo de Justiça. “Foram várias pistas, várias linhas de investigação e hoje não tenho condição de falar nada. Foi filmado por várias pessoas, tinha uma série de testemunhas, mas, por outro lado, não tem nada que possa comprovar o autor ou os autores do crime. É um caso bastante misterioso. Sobre o andamento das investigações, não posso falar nada. Não sei se tem suspeito ou se tem mais gente sendo investigada. O que sei é que a família continua querendo uma resposta”, declarou. Esse pedido de respostas e de justiça veio ontem à noite na forma de um clipe produzido com a participação da família — entre eles, o pai e o irmão de MC Daleste —, amigos e fãs. O vídeo foi lançado na Zona Leste. “Foi gravado na rua onde ele nasceu. Está sendo lançado na comunidade e será disponibilizado no YouTube”, afirmou Amanda Evangelista dos Santos, amiga da família. Segundo ela, o vídeo é uma homenagem e um pedido de justiça. “É muito triste porque não tem nenhuma resposta e todo mundo ainda vive com muito medo, receio de acontecer de novo porque o irmão dele ainda canta e porque ninguém sabe o motivo da morte. Não dá para saber se foi um psicopata, não tem nenhuma resposta”, acrescentou.O caso

MC Daleste foi morto durante uma apresentação no CDHU San Martin. Na época, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que o funkeiro foi atingido por dois disparos. Um deles atingiu Daleste de raspão na axila direita, provocando queimaduras, e o segundo atingiu seu abdômen, no lado esquerdo. Ele conversava com o público no momento em que foi baleado e foi socorrido pelos amigos e levado ao Hospital Municipal de Paulínia, mas não resistiu e morreu pouco tempo depois. Alguns vídeos feitos por fãs registraram o momento do disparo. O assassinato no palco, em circunstâncias até hoje não esclarecidas, repercutiu em todo o País e também fora do Brasil. Inicialmente, a Polícia Civil de Campinas assumiu o caso, mas ele foi transferido para São Paulo.