Publicado 16 de Julho de 2015 - 5h30

Pai e filho entraram para o ‘hall’ dos felizardos que atuaram juntos em uma partida de futebol oficial e ainda comemoraram gols. Rivaldo e Rivaldinho foram os autores dos três gols da vitória sobre o Macaé, na última terça-feira, no estádio Romildo Ferreira (nome do pai e avô dos atletas), que garantiram um pouco mais de tranquilidade para o time no Brasileiro da Série B.

Melhor jogador do mundo em 1999 e pentacampeão mundial com a Seleção Brasileira em 2002, Rivaldo deixou a sua marca de pênalti e ainda participou da jogada de um dos gols de seu herdeiro.

O craque de 43 anos deixou de lado seus 16 meses de aposentadoria para ajudar o Mogi Mirim a se reabilitar na Série B e o destino lhe preparou esta felicidade. “Primeiro que a torcida veio e jogou com o time. E segundo, ter a oportunidade de jogar ao lado do seu filho e ainda participar diretamente dos gols do time. Foi, sem dúvida, emocionante. Posso dizer que vai ser inesquecível esta noite”, disse Rivaldo após o jogo. Pai e filho já haviam atuado juntos em fevereiro do ano passado, pelo Paulistão, mas gols dos dois somente dessa vez.

“Já tinha ouvido falar de pai e filho jogando juntos, mas nunca ouvi de pai e filho fazendo gol em uma partida oficial. Poucos têm essa sorte de ter um pai pentacampeão em casa”, disse Rivaldinho desconhecendo o episódio de 2010, quando Osman e Naeem Sidik balançaram as redes pelo Whalley Range, clube de Manchester que disputa uma das últimas divisões do futebol inglês.

Mas a volta aos gramados não tem sido fácil para o pentacampeão. Antes de jogar na terça-feira, o meia precisou passar por uma infiltração no joelho. “Amo jogar futebol e decidi fazer a infiltração para colaborar com os jogadores num jogo em que a vitória era muito importante para o clube. Deu certo. Agora é voltar ao tratamento convencional para tentar voltar a campo no próximo jogo”, explicou Rivaldo. O Sapão com ele em campo tem 100% de aproveitamento.

Ontem, apesar de vários motivos para comemorar, o clima foi tenso na sede do Mogi Mirim. Isso porque aconteceu a assembleia na qual estava prevista a renúncia de Rivaldo da presidência do clube. Logo após a partida contra o Macaé, o meia evitou comentar sobre assunto. (Da Agência Anhanguera)