Publicado 13 de Julho de 2015 - 5h30

O sérvio Novak Djokovic conquistou ontem o seu terceiro título em Wimbledon. O número 1 do mundo frustrou o suíço Roger Federer e, com uma grande atuação, derrotou o segundo colocado no ranking da ATP por 3 sets a 1, com parciais de 7/6 (7/1), 6/7 (10/12), 6/4 e 6/3, em 2 horas e 55 minutos, na decisão disputada na quadra central do All England Club.

Antes de 2015, Djokovic havia sido campeão em Wimbledon duas vezes: em 2011, quando bateu o espanhol Rafael Nadal na decisão, e no ano passado, quando também foi o algoz de Federer na final. Assim, agora ele faturou a sua terceira taça da competição londrina, mesma marca do seu treinador, o alemão Boris Becker.

Além disso, Djokovic passa a somar nove títulos dos torneios de Grand Slam, sendo dois conquistados em 2015 — ainda foi campeão do Aberto da Austrália no início do ano.

Já Federer, dono de 17 títulos dos torneios do Grand Slam, perdeu mais uma vez a chance de se isolar do norte-americano Pete Sampras e do britânico William Renshaw como maior vencedor de Wimbledon, se mantendo igualado aos dois, com sete conquistas.

Depois do jogo, os competidores se elogiaram. "Ele é um dos maiores desafios que alguém pode ter na grama. É uma honra poder jogar contra ele", disse Djokovic. "Ele foi melhor do que eu nos pontos importantes, muito sólido. Não joguei mal, mas ele foi melhor e mereceu a vitória”, elogiou o suíço.

O jogo

Federer conseguiu a primeira quebra de serviço da decisão no sexto game, mas Djokovic conseguiu devolvê-la na sequência. Depois, o suíço desperdiçou set points no 12 game, no saque do número 1 do mundo. A definição da parcial acabou seguindo para o tie-break, em que o sérvio foi soberano e venceu por 7/1, com o último ponto sendo assegurado com uma dupla falta de Federer, definindo a parcial após 45 minutos.

O segundo set também foi definido no tie-break, mas dessa vez sem nenhuma quebra de serviço. Além disso, ao contrário do que aconteceu na primeira parcial, a disputa foi bastante equilibrada e definida favoravelmente a Federer.

O início da terceira parcial também foi equilibrada, com break points para ambos os tenistas. Djokovic se salvou no segundo game, desperdiçou chance no primeiro, mas não no terceiro, depois abrindo 3/1. O duelo chegou a ser paralisado pela chuva, mas foi retomado, com o sérvio sendo soberano no seu saque e vencendo por 6/4 em 32 minutos.

No quarto set, Djokovic encaminhou a vitória no quinto game, ao converter um break point. O sérvio ainda levou alguns sustos no oitavo game, mas voltou a se impor no saque de Federer no nono, obtendo mais uma quebra. Assim, fechou a parcial em 6/3. (Da Agência Estado)