Publicado 13 de Julho de 2015 - 5h30

O tempo passou, mas o talento continua intacto. O gás até pode não ser mais o mesmo, mas o toque refinado compensa. Os craques do passado de Guarani e Ponte Preta fizeram os torcedores suspirarem de saudades ontem no estádio Brinco de Ouro. Figuras como Zenon, Careca, João Paulo, Amaral, Polozzi e Monga, entre outros, formaram a Seleção de Campinas que enfrentou a Seleção de São Paulo, no Jogo das Estrelas, comemorativo aos 241 anos de Campinas.

E os eternos craques de Campinas não decepcionaram. Venceram de goleada por 5 a 1 com gols de João Paulo (2), Careca, Monga e Pereira. Amauri foi o autor do gol de honra do time de São Paulo.

“Se eu tivesse esse time em campo na atualidade, era campeão mundial todos os anos”, elogiou Pardal, ex-técnico da Ponte, que comandou a Seleção de Campinas.

Um dos destaques do Jogo das Estrelas foi o ídolo bugrino Zenon. Mesmo sem marcar gol, ele chamou a atenção dos torcedores por conta da boa forma aos 61 anos.

“Não deixo de jogar futebol. Adoro participar destes jogos de exibição, rever os amigos, mas entro para vencer”, afirmou o ex-jogador.

Para alguns atletas em particular, voltar a jogar no gramado do Brinco de Ouro foi significativo.

O goleiro da Seleção de São Paulo foi Gilmar, ex-Palmeiras e que defendeu a equipe na final do Brasileiro de 78, quando o Guarani foi campeão. Isso porque Leão, que era o titular, foi expulso no primeiro jogo na Capital.

“Apesar de tudo, guardo com carinho esse estádio, onde a história foi escrita. Me emociona jogar junto com esses caras que marcaram época”, disse o ex-goleiro.

“É bom rever a galera, ver os torcedores ainda te saudando e ainda mais fazer um gol no Brinco”, brincou Monga, ex-centroavante da Ponte Preta nos anos 80.

O ex-atacante Amauri, que defendeu a Macaca em 81, ontem atuou pela Seleção de São Paulo e quer mais Jogo das Estrelas. “Voltar aos bons tempos da Ponte Preta, rever a galera é bom demais. Tem que ter outros jogos como este.” (Renata Rondini/AAN)