Publicado 11 de Julho de 2015 - 5h30

O técnico Dorival Junior começou ontem a trabalhar no Santos e teve somente um treino para definir a escalação. A equipe tenta dar os primeiros passos para sair da crise com três mudanças entre os titulares no jogo programado para hoje, às 18h30, na Vila Belmiro, diante do Figueirense.

A primeira jornada de trabalho do treinador teve muita conversa. Uma das reuniões, porém, foi entre membros da torcida organizada e os jogadores, que receberam cobranças pela má fase do time. O Santos vem de quatro derrotas seguidas e está na zona de rebaixamento.

A outra reunião foi entre o treinador e o elenco. Na sequência, a primeira atividade teve a entrada de Zeca na lateral esquerda. Com isso, Victor Ferraz vai para a lateral direita e Daniel Guedes deixa o time. O zagueiro Paulo Ricardo atuou improvisado como volante, no lugar de Lucas Otávio. A outra alteração envolve Geuvânio, que volta de suspensão e substitui Rafael Longuine.

Logo na apresentação como treinador, Dorival falou de seus planos para o time e pouco abordou o jogo com o Figueirense. De reforços, o técnico citou a proximidade do acerto com o volante Sandro, ex-Internacional e que está no futebol inglês. "A diretoria trabalha para que possamos ao longo da semana buscar uma ou outra opção para fortalecer em breve o nosso elenco", comentou.

Dorival destacou que mais importante do que o pouco tempo para a estreia é a oportunidade de ter assinado um contrato longo, de dois anos e meio. "Isso me fez acreditar novamente na possibilidade de iniciar um trabalho. Acho que coisas boas podem vir a acontecer", ressaltou.

Otimista em uma reação no Brasileirão, o novo técnico prometeu evitar mudanças bruscas pelo menos durante as próximas rodadas. Além do confronto direto com o Figueirense, o Santos terá logo depois outras partidas com rivais em situação parecida na tabela, como Joinville, Flamengo, Coritiba e Vasco.

Figueirense

Depois de perder para o lanterna Joinville, o Figueirense busca a reação. E para não contribuir com a reabilitação de mais uma equipe que está na zona de rebaixamento, o time realizou o último treinamento de portas fechadas. O técnico Argel Fucks não confirmou quem será o substituto do zagueiro Thiago Heleno, que lesionou a coxa direita e foi vetado pelo departamento médico. Bruno Alves e Saimon disputam a vaga. "Vamos ver, ainda não definimos. A sequência de jogos é dura. Temos confiança em todos os jogadores. Do goleiro ao ponta-esquerda", despistou o treinador. (Da Agência Estado)

Treinador evita comparar atual geração com a de 2010

O técnico Dorival Júnior já avisou que a atual safra de Meninos da Vila não pode ser comparada com a "geração Neymar e Ganso", comandada por ele em 2010. Dorival alega que o time campeão paulista e da Copa do Brasil tinha um "jogador diferenciado", além de outras estrelas, como Robinho, Arouca e companhia.

"Não, não tenho essa visão toda, é muito pouco tempo. Não tem como comparar, nunca consegui comparar jogadores, quando dizem que esse é melhor que aquele. Às vezes serve para um sistema, para outro não. Aquele grupo vinha em um processo de crescimento natural, tinha um jogador diferenciado e outros que compunham bem como Arouca, Robinho, Ganso. Era um time bem composto, fazia com que o jogo fosse mais claro, limpo e consciente. Mas tenho consciência que o trabalho é diferente, vamos buscar com determinação suprir a falta desse momento vivido pelo clube", afirmou Dorival, que fez questão de agradecer a Marcelo Fernandes e Serginho Chulapa, que vinham comandando o Santos desde a saída de Enderson Moreira, em março, e conquistaram o Paulistão.

“Eu gostaria de parabenizar o trabalho desenvolvido pelo Marcelo e pelo Serginho. Marcelo é um profissional que está chegando ao mercado e pegou uma equipe grande em um momento de transição.”

SANTOS

Vanderlei; Victor Ferraz, Werley, David Braz e Zeca; Paulo Ricardo, Thiago Maia e Lucas Lima; Gabriel, Geuvânio e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Junior.