Publicado 10 de Julho de 2015 - 5h30

Assim como no dueto, a equipe brasileira de nado sincronizado terminou em quarto lugar em sua primeira apresentação nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. O time brasileiro alcançou a nota de 80,8605 na rotina técnica, atrás de Canadá, México e Estados Unidos. O dia de provas ainda foi marcado por um problema no sistema de som durante a apresentação do time mexicano, que teve que se apresentar duas vezes.

As nadadoras brasileiras não esconderam a decepção com a nota, mas procuraram demonstrar otimismo para a apresentação de amanhã, quando acontece a rotina livre e será definido o pódio, tanto por equipes quanto no dueto.

"A gente nadou com toda nossa alma", comentou Lara Teixeira, capitã da equipe. "Temos que rever a nadada e reverter isso para a final tanto no dueto quanto na equipe."

Bia Ferres também considera que será possível recuperar a nota. "A competição ainda não acabou. A gente quer uma medalha." O tema da apresentação brasileira na rotina técnica foi "Motocicleta (rock)".

Desde o Pan de Santo Domingo, em 2003, o Brasil sempre fica com a medalha de bronze no nado sincronizado, tanto no dueto quanto por equipes, atrás de EUA e Canadá. A expectativa para Toronto era evoluir pelo menos para a prata, não deixar o pódio, algo que não acontece desde 1991, em Havana.

No polo aquático, a seleção brasileira masculina venceu o México por 22 a 9, ontem, e confirmou a primeira posição do Grupo B com vitórias em todos os seus duelos. Com o resultado positivo, o Brasil deve evitar o confronto antecipado com os Estados Unidos na semifinal.

No feminino, seleção cumpriu o seu objetivo e assumiu a liderança do Grupo B. Com facilidade, a equipe massacrou a Venezuela por 18 a 1 e obteve a sua primeira vitória na competição.

Mais do que a vitória, o que importava mesmo era obter um saldo de gols expressivo que deixasse o Brasil à frente do Canadá, adversário de estreia da seleção no Pan, em duelo que terminou empatado em 7 a 7. E foi exatamente isso o que as brasileiras conseguiram, ficando com um saldo positivo de 17 gols contra os 11 do Canadá, que anteriormente bateu a Venezuela por "apenas" 15 a 4.

Cerimônia de abertura

O mistério sobre a cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos só será revelado hoje, a partir das 21h. Apesar do segredo, a expectativa é por um espetáculo memorável. Isso porque o evento foi produzido pelo Cirque du Soleil, companhia canadense que ganhou fama por suas belas produções. (Da Agência Estado)

Atletas brasileiros têm malas furtadas na viagem

A viagem ao Canadá para os Jogos Pan-Americanos gerou dor de cabeça para alguns atletas brasileiros. Na chegada a Toronto, eles descobriram que tiveram as malas violadas e alguns itens furtados, principalmente tênis e uniformes, em voos que partiram do aeroporto de Guarulhos.

Segundo Marcus Vinícius Freire, superintendente executivo de Esportes do Comitê Olímpico do Brasil (COB), ocorreram mais de 20 casos até agora, envolvendo atletas dos saltos ornamentais, hipismo e outros. "Está acontecendo direto, como acontece sempre. As malas são fáceis de serem identificadas, tem faixas verde e amarelas grandes. Já acionamos a Polícia Federal e ela está fazendo uma operação especial para ficar de olho", explica.

O COB tem alguns materiais para reposição, mas se os furtos persistirem pode não ser o suficiente. "Não adianta pedir dinheiro, a gente precisa do uniforme. Não dá para sair e comprar um igual", afirma Freire. Neste cenário, a entidade tem recomendado aos atletas que plastifiquem suas malas no aeroporto e que coloquem o uniforme para competição dentro da mala de mão para evitar maiores transtornos.

De acordo com a assessoria de imprensa do aeroporto de Guarulhos, a companhia aérea é responsável pela proteção das bagagens desde a entrega das malas no check-in até a restituição para o passageiro na chegada ao destino (Toronto). Destaca que toda a operação é coordenada pelo transportador aéreo por funcionários diretos ou terceirizados. E alerta que, em casos de danos ou furtos de itens nas malas, o proprietário deve acionar a companhia pela qual viaja. (AE)