Publicado 10 de Julho de 2015 - 5h30

O Santos fechou ontem a contratação de Dorival Junior, confirmado oficialmente como novo técnico da equipe. Na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e com quatro derrotas seguidas, a diretoria optou por trocar o comando e trazer o treinador que em 2010 levou o clube aos títulos do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil.

Dorival está sem clube desde que deixou o Palmeiras, no fim do ano passado, e selou acordo para dirigir o Santos por dois anos e meio. Ou seja, até o final de 2017. Com a mudança, o então técnico da equipe, Marcelo Fernandes, que estava no cargo desde março, volta a trabalhar como auxiliar de Dorival. A reestreia do técnico deve ser amanhã, contra o Figueirense, na Vila Belmiro.

O Santos tem apenas duas vitórias em 12 rodadas no Brasileirão e amarga a pior defesa da competição, com 21 gols sofridos. Assim como em 2014, quando assumiu o Palmeiras, Dorival terá como meta livrar o time do rebaixamento e chega ao clube junto com o auxiliar Lucas Fernandes, seu filho, e o preparador físico Celso de Rezende.

Em 2010, Dorival trabalhou no clube até o mês de setembro, quando saiu após desentendimentos com Neymar. A diretoria ainda cogitava apostar em Doriva, que deixou recentemente o Vasco, e em Alexandre Gallo, ex-coordenador das categorias de base da Seleção Brasileira. Mas Dorival acabou sendo o escolhido para o cargo.

Por meio de um vídeo publicado no site oficial do Santos, o presidente do clube, Modesto Roma Júnior, exaltou a sua confiança no sucesso do novo comandante. "Estamos aqui para anunciar a vinda do professor Dorival Junior como nosso novo treinador. Ele vai ficar aqui conosco por dois anos e meio, que é o tempo que nós da atual gestão ficaremos no clube. Esperamos que ele possa fazer um trabalho de redirecionamento do Santos e tirá-lo deste momento difícil que estamos vivendo. Desejamos a ele uma boa sorte, um bom trabalho e uma vida longa no Santos Futebol Clube", afirmou o dirigente.

Dorival, por sua vez, também falou por meio do site do Santos aos torcedores e prometeu tirar a equipe da situação complicada que hoje atravessa. "Torcedor santista, estamos de volta, vamos fazer o melhor possível dentro das nossas condições, tentamos nos doar ao máximo ao clube, volto com a melhor das intenções, podem confiar, podem acreditar, voltaremos a ter um grande trabalho, contamos com a participação de cada um de vocês, estejam ao lado da equipe neste momento difícil e complicado. Buscaremos e alcançaremos uma recuperação bem rápida", projetou. (Da Agência Estado)

Torcida faz protesto na volta do time

Após levar quatro gols do Goiás em 16 minutos e perder pela quarta vez seguida no Brasileiro, os jogadores do Santos não foram bem recebidos no retorno a São Paulo. Para evitar confusões com os cerca de 50 torcedores que esperavam no saguão, a delegação desceu do avião e entrou no ônibus ainda na pista do Aeroporto de Congonhas.

Na chegada ao CT Rei Pelé, pouco mais de 20 santistas aguardavam os atletas. O grupo gritava contra o elenco e também contra o presidente Modesto Roma Junior com os cânticos: "Ah, que saudade quando o meu Santos jogava com vontade"; "Ôoo, queremos jogador!"; "Ou joga por amor, ou joga por terror". No entanto, a escolta da Polícia Militar evitou qualquer contato visual entre os manifestantes e os jogadores. Ontem, os muros da Vila Belmiro amanheceram pichados.

Marcelo Fernandes, que voltará à condição de auxiliar, elogiou o grupo depois do jogo no Serra Dourada. "Essa molecada é boa, só precisa de um incentivo. Tenho certeza que a torcida vai ficar do nosso lado, como já fez em outras vezes." (AE)