Publicado 09 de Julho de 2015 - 5h30

O técnico Marcelo Fernandes pode ter se despedido ontem do Santos da pior maneira possível: com o time na zona do rebaixamento e goleado por 4 a 1 pelo Goiás, que não está lá muito melhor no Campeonato Brasileiro, no estádio Serra Dourada, em Goiânia, pela 12 rodada. Nos bastidores da Vila Belmiro, comenta-se que Dorival Júnior pode ser anunciado ainda hoje.

Se confirmada a substituição de Marcelo Fernandes — voltará a ser auxiliar —, será um fim de ciclo melancólico para um treinador que, em sua primeira experiência mais forte no time principal, foi do sucesso do título paulista ao fracasso no Brasileirão.

Ontem, o Santos perdeu pela quarta vez seguida — soma apenas 10 pontos. Pior: foi diante de um adversário que também vinha mal — chegou agora aos 13 pontos — e que, por isso, representava boa oportunidade de reabilitação.

Os dois times começaram a partida mais preocupados em não levar gol do que em tentar fazê-lo. A consequência é que os primeiros 20 minutos foram marcados pela falta de ousadia e até mesmo lentidão. No entanto, como tanto Santos como Goiás marcavam a partir de suas intermediárias, havia espaços a aproveitar.

O time da casa passou a procurar algumas tabelas pelo meio de campo, mas também explorou as costas dos laterais adversários. Os santistas tinham os espaços dados pelo lateral-direito Clayton Sales como opção para avançar, mas preferiram explorar apenas os contra-ataques.

É fato que na fase final da etapa a partida melhorou, ficou mais movimentada. Basicamente, pela maior iniciativa do Goiás, que passou a pressionar. E expôs o nervosismo e a insegurança da defesa santista. Os zagueiros tentavam se livrar da bola como dava, o que não impediu que os goianos tivessem duas boas chances.

[TEXTO]O intervalo não serviu para tranquilizar os santistas. Isso ficou claro nos seis minutos em q[/TEXTO]ue o Goiás abriu 2 a 0. Fez um gol de pênalti com Felipe Menezes (após uma furada na área de Thiago Maia) e outro com o zagueiro Fred após pixotada incrível da zaga santista. Aí o Santos morreu. Entregou-se de vez. E o Goiás foi fazendo gols, aproveitando erros dos paulistas. Aos 13’, Thiago Maia fez besteira e Felipe Menezes marcou outra vez; aos 16’, Daniel Guedes errou passe e na sequência Carlos Eduardo fez.

O Goiás poderia até ter ampliado, mas ficou satisfeito com a goleada reabilitadora. Ao Santos, restou o consolo do gol de honra. Artilheiro do campeonato com oito gols, Ricardo Oliveira fez de pênalti. Não comemorou. E nem há mesmo o que comemorar. (Da Agência Estado)

CORINTHIANS

Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Jadson e Renato Augusto; Malcom e Vagner Love. Técnico: Tite.