Publicado 06 de Julho de 2015 - 5h30

Foi suado, mas Lewis Hamilton conquistou pela terceira vez seu GP caseiro na Inglaterra. Piloto queridinho de grande parte dos mais de 100 mil torcedores que compareceram ao circuito de Silverstone para a nona etapa do campeonato, o inglês foi superado pelas Williams de Felipe Massa e Valtteri Bottas na largada, mas conseguiu se recuperar e, com uma grande decisão estratégica, ampliou para 17 pontos a vantagem frente ao companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, na liderança do campeonato.

Após dois erros estratégicos da Williams e um ritmo bastante ruim quando começou a chover, nas voltas finais, Massa, que liderou por 19 voltas, foi o quarto, com o companheiro Bottas em quinto. Rosberg completou a dobradinha da Mercedes e Sebastian Vettel aproveitou a chuva para roubar o terceiro lugar em um dia em que a Ferrari foi amplamente batida pela Williams em ritmo normal.

Saindo da primeira fila, tanto Hamilton quanto Rosberg foram ultrapassados na largada e o inglês só conseguiu retomar a ponta durante os pit stops ao parar uma volta antes e usar a aderência dos pneus novos. Nas voltas finais, o líder do campeonato também teve de saber o momento certo para parar e colocar os pneus intermediários quando começou a chover. “Eu fiz a escolha perfeita de troca de pneus pela primeira vez na minha carreira”, celebrou o inglês. De acordo com a Mercedes, a decisão partiu do próprio piloto.

Outro que parou no momento certo foi Vettel. O alemão, que passara a corrida toda distante da luta pela ponta e estava em quinto lugar quando decidiu trocar os pneus de seco pelos de pista molhada na mesma volta de Hamilton. Assim, superou Massa e Bottas. "Sem a chuva não conseguiriamos estar no pódio", admitiu o tetracampeão. "Fomos pacientes e acertamos o momento de parar. Não foi um presente, Papai Noel não estava lá me dizendo que deveria parar. Foi uma decisão da equipe."

Vettel salientou, contudo, que a Ferrari não demonstrou ritmo para lutar com a Williams na classificação ou na corrida pela primeira vez no ano, algo que também foi salientado por Massa. “Erramos na estratégia, algo que não pode voltar a acontecer, mas mostramos que sabemos desenvolver nosso carro e que ainda estamos na briga. Fica um pouco de frustração”, disse o brasileiro.

A corrida de Felipe Nasr, por sua vez, acabou antes mesmo da largada devido a uma quebra no câmbio da Sauber. A Fórmula 1 retorna daqui a três semanas, no GP da Hungria, décima etapa do campeonato. (Agência Total Race)

Alonso acaba com o jejum de pontos ao ficar em 10

Demorou oito etapas, mas Fernando Alonso finalmente conseguiu acabar com seu jejum de pontos com o 10 lugar no GP da Inglaterra. Ausente no Grande Prêmio da Austrália que abriu a temporada, em decorrência do acidente sofrido em Barcelona na pré-temporada, Alonso sequer havia completado cinco das oito etapas que disputou até aqui em 2015. O espanhol não pontuava desde o GP de Abu Dhabi do ano passado, em novembro, quando foi 8 em sua despedida da Ferrari.

Até então, desde que correu pela Minardi em 2001 e não pontuou ao longo de todo o ano, Alonso jamais havia passado mais de duas corridas seguidas sem somar pontos. A seca aconteceu quatro vezes na carreira do bicampeão, sendo duas em 2003 (França-Inglaterra e EUA-Japão) e duas em 2004 (Canadá-EUA e Bélgica-Itália).

O bicampeão, contudo, não se empolgou com o resultado. "Espero que haja mais por vir. Um ponto é bom para o moral da equipe, para quem está trabalhando noite e dia, e para os momentos em que merecíamos mais. Hoje não merecíamos muito porque estávamos em 11 e quando a chuva chegou, ganhamos o 10 mais ou menos de graça. Não posso dizer que terminar em décimo é bom. Queremos ser campeões do mundo e isso exige muito trabalho e disciplina daqui até o final do ano. A equipe está muito focada. Teremos updates nas próximas corridas, ainda que não os veremos porque seremos penalizados e largaremos em último. Mas a meta é terminar o ano em outro nível." (ATR)

Bottas lamenta e se irrita com a Williams

O companheiro de Felipe Massa, Valtteri Bottas, chegou a acreditar que poderia vencer sua primeira corrida na Fórmula 1 no GP da Inglaterra. E não escondeu a irritação pelo fato de a equipe não ter permitido uma briga direta entre seus pilotos.

Após grande largada, Massa pulou em primeiro e Bottas, em segundo. O finlandês permaneceu por várias voltas a menos de um segundo do brasileiro e chegou a tentar a ultrapassagem. A Williams, porém, temia que uma briga colocasse em risco a liderança, pois as Mercedes vinham logo atrás.

Bottas, contudo, acredita que era mais rápido que Massa e poderia ter aberto uma vantagem maior do que o brasileiro conseguiu. A pouco mais de 1s de Felipe, o terceiro colocado, Lewis Hamilton, roubou a posição nas paradas de box.

“Quando não te permitem que você dispute e quando você tem mais ritmo é difícil. E tive uma ou duas oportunidades muito boas e em determinado momento não me deixaram disputar com ele. Quando ele parou, mostrei que estava 1s mais rápido.”

Bottas acabou sendo superado também por Nico Rosberg e por Sebastian Vettel e fechou em quinto. Massa, por sua vez, rebateu o companheiro. O piloto salientou que havia demonstrado ao longo do final de semana ter mais ritmo que Bottas com os pneus duros, que seriam colocados após a parada, e que o finlandês estava apenas se beneficiando do uso da asa traseira móvel, que dá uma vantagem de mais de 10km/h. “É exagero dele. Se estivesse 1s mais rápido, tinha passado.” Com o resultado, Bottas é o quarto no campeonato, com 77 pontos. Sexto, Massa soma 74. (ATR)