Publicado 06 de Julho de 2015 - 5h30

Ainda é cedo, muito cedo, para se falar em risco de rebaixamento na Vila Belmiro. E por isso também é difícil entender tanto abatimento entre os jogadores do Santos, que ontem sucumbiram em casa diante do Grêmio por 3 a 1 — resultado que jogou o time paro 17 lugar, na zona de rebaixamento, e fez a torcida clamar por reforços.

O resultado, por sua vez, fez o time gremista chegar aos mesmos 23 pontos do Sport, que início a rodada como líder, mas foi ultrapassado pela equipe gaúcha, que agora tem uma vitória a mais que os pernambucanos.

O começo do jogo não poderia ter sido pior para o Santos. Logo aos 4’, Luan recebeu nas costas de David Braz e rolou para Pedro Rocha abrir o placar. Para um time sob pressão, sair perdendo em casa era um soco no estômago. Dois minutos depois, Luan quase fez o segundo.

A torcida estava assustada, e o Santos, mesmo tendo três atacantes, não conseguia chegar perto da área gremista. Faltava articulação, porque Lucas Lima recebia a bola muito longe do ataque e nenhum dos volantes o ajudava a tentar armar as jogadas.

Com a partida sob controle, o Grêmio recuou e perdeu a ambição de fazer o segundo gol — um mal recorrente nos times brasileiros que abrem o placar, dentro ou fora de casa. A equipe só voltou a acordar aos 28’, quando um erro do árbitro prejudicou o Santos.

Geuvânio, que dois minutos antes havia tomado um cartão amarelo de forma estúpida (fez falta dura no campo de defesa do Grêmio), foi expulso por supostamente ter voltado para o campo sem autorização do árbitro depois de ser atendido pelo médico. Mas as imagens mostram o juiz gesticulando para que ele entrasse. Daí até o fim do primeiro tempo só deu Grêmio, que por pouco não fez mais um gol.

O Santos voltou do intervalo com Rafael Longuine no lugar de Lucas Otávio, mas não houve tempo de tentar reagir. Aos 4’, Galhardo bateu cruzado e fez 2 a 0 para o Grêmio.

Ficou barato

Ricardo Oliveira, num lance isolado, mostrou seu oportunismo e diminuiu aos 19’. Mas o Grêmio era o dono do jogo. Chegou ao terceiro gol com Yuri Mamute, aos 35, e poderia ter feito mais se tivesse tido mais contundência para finalizar os contragolpes oferecidos pelo Santos.

Encerrado o jogo, a torcida santista pediu contratações para a diretoria e raça para os jogadores. Lucas Lima, envergonhado, admitiu que o time não poderia estar em situação tão ruim. E o Grêmio foi embora saboreando o seu quinto triunfo consecutivo. (Da Agência Estado)

Treinador critica juiz por expulsão

Com a derrota para o Grêmio, o Santos ficou em 17 lugar, com apenas 10 pontos. Pressionado, o técnico Marcelo Fernandes afirmou que seu time foi prejudicado pela arbitragem. Ele não concordou com o cartão vermelho mostrado a Geuvânio no 1 tempo. O atacante foi expulso pelo árbitro Felipe Gomes da Silva por ter voltado ao campo sem autorização depois de receber atendimento médico. Ele já tinha cartão amarelo.

“Todo mundo viu o árbitro chamando o jogador. Estou cansado de falar desde a 3 rodada. Só árbitro de centros com menor expressão apitam jogos do Santos. Mas quanto mais eu falar, mais eu vou me prejudicar. Hoje comecei com seis moleques da base. Aí vem uma arbitragem aqui e faz o que vocês viram. O Roger, treinador do Grêmio, veio me falar que viu o juiz mandando o Geuvânio voltar. O Santos foi prejudicado, mas não vou usar isso como muleta. Não podemos estar com 10 pontos”, disse.

1

A vencer cinco jogos seguidos no Brasileirão 2015 é o Grêmio do técnico Roger Machado.

24

Foi o dia da última vitória do Goiás no Brasileirão: 1 a 0 sobre o Palmeiras, no Allianz Parque.

SANTOS

Vanderlei; Victor Ferraz, Paulo Ricardo, David Braz e Caju (Rafael Longuine); Luiz Otávio (Neto Berola), Thiago Maia e Lucas Lima (Nilson); Gabriel, Ricardo Oliveira e Geuvânio. Técnico: Marcelo Fernandes.