Publicado 02 de Julho de 2015 - 5h30

Quase três meses depois do encontro com o Corinthians nas quartas de final do Campeonato Paulista, a Ponte Preta volta hoje à Arena Itaquera. Apesar de ter sido eliminada, a Macaca deixou uma ótima impressão naquela partida.

É bom lembrar que no início de abril o Corinthians era visto como um dos melhores times do Brasil, favorito à conquista do título paulista e da Libertadores.

Para enfrentar aquele timaço, Guto Ferreira optou pela escalação de três volantes para proteger a defesa. Assim, Renato Cajá jogou com liberdade para acionar e se aproximar de dois atacantes de velocidade. A Ponte foi melhor no primeiro tempo. Teve as melhores chances, fez um gol que foi mal anulado pelo bandeirinha e não deixou o badalado adversário jogar.

No segundo tempo, Tite conseguiu melhorar o posicionamento do Corinthians, que equilibrou a partida e chegou ao gol da vitória.

Depois daquela partida, o Timão começou a perder jogos e prestígio. Foi eliminado por Palmeiras e Guarani de Assunção, teve problemas com salários atrasados e perdeu vários titulares.

A Ponte viveu uma situação inversa. Fez uma largada excepcional no Brasileirão e é por isso que fechou a 9 rodada a um ponto do G4 e a apenas três do líder.

Hoje, a Macaca retorna a Itaquera com um configuração diferente. Agora Guto escala apenas dois volantes, Cajá segue com liberdade (tanto que é um dos artilheiros do Brasileirão, com cinco gols) e o time tem três atacantes.

Ao contrário do adversário, que perdeu peças importantes para conter gastos, a Ponte tem um elenco melhor do que tinha quando foi eliminada no Paulistão.

Todos esses fatores contribuíram para que a Ponte tenha conquistado os mesmos 16 pontos que o Corinthians, adversário que conta com um orçamento muito maior.

Biro Biro, em grande fase, é um atacante que seria titular em vários dos grandes clubes do Brasileirão, inclusive no Fluminense, que o emprestou à Ponte. No ataque do Timão, ele também teria lugar. Tanto é verdade que o time de Tite se reforçou com Rildo, atacante que Guto sequer vinha relacionando para o banco.

Apesar dos problemas de um e da ascensão de outro, o jogo deve ser um dos mais difíceis para a Macaca no 1 turno. Mas os fatos de os dois terem a mesma pontuação e de a Ponte ter hoje um time melhor do que em abril sinalizam que o planejamento para a temporada 2015 vem sendo bem executado no Majestoso. Vamos ver se isso é suficiente para que a Macaca devolva a derrota tão polêmica do Paulistão.