Publicado 02 de Julho de 2015 - 5h30

Em três semanas, a Seleção Brasileira masculina de vôlei deu uma volta ao mundo. Saiu do Brasil, jogou na Sérvia, na Itália e na Austrália. Hoje, às 14h (Globo e Band), volta às quadras em Cuiabá (MT) para enfrentar novamente os italianos, pela última rodada da fase de grupos da Liga Mundial. Além dos rivais, também precisa superar a dificuldade de se adaptar ao fuso horário e ao calor mato-grossense. O lado positivo é a volta do técnico Bernardinho ao banco de reservas. O treinador já cumpriu os dez jogos de suspensão por causa críticas à Federação Internacional de Voleibol (FIVB) durante o Mundial de 2014.

"Viemos de vários fusos diferentes depois de uma semana na Sérvia, uma na Itália e uma na Austrália. Estamos nos adaptando. Aqui é bastante quente, então estamos treinando no horário dos jogos. Vamos sentir, mas temos que tentar minimizar e fazer com que isso não atrapalhe", diz o central Riad.

O Brasil já está classificado à fase final da Liga Mundial, porque será sede da competição no Rio, e usa esta etapa do torneio para ganhar ritmo de jogo. Agora, a Itália também já está classificada, mas os brasileiros não querem nem pensar em levar o duelo como um amistoso.

"Estamos evoluindo e os treinos estão fortes como sempre. Todos os atletas tiveram a possibilidade de jogar, mostraram que o grupo está forte. Estamos muito concentrados e atentos aos detalhes, e esse jogo contra a Itália é mais um clássico, uma partida que todos querem vencer. É importante para que o grupo também vá se readaptando ao Brasil, após viagens longas lá fora" destacou o líbero Serginho. (AE)