Publicado 02 de Julho de 2015 - 5h30

Com a promessa de não se lembrar do último encontro com o Corinthians em que foi prejudicada pela arbitragem e acabou eliminada no Paulistão, a Ponte Preta entra em campo hoje, às 19h30, na Arena Corinthians, disposta a confirmar o realinhamento de rota no Campeonato Brasileiro. O time, que começou como sensação e ficou três rodadas sem vencer, quer provar agora que a vitória sobre o Atlético-PR, no final de semana, por 2 a 1, não foi por acaso.

Empatada na pontuação com o Timão (16), a Ponte tem a chance de superar um concorrente direto na tabela. Por isso, o desafio de hoje é mais um daquele chamado "jogo de seis pontos". A rodada começou ontem, com a Macaca a três pontos do líder e só a um do G4.

Com Renato Chaves ocupando a vaga de Tiago Alves na defesa, o técnico Guto Ferreira quer encorpar a marcação e evitar a pressão do adversário, que vem embalado pela vitória diante do Figueirense na última rodada. Chaves, que foi muito bem no lugar de Pablo diante do Fluminense, voltou para o banco diante do Furacão, mas entrou na etapa final e novamente deu conta do recado.

Por isso, durante a semana Guto testou a nova formação do miolo defensivo e gostou do que viu. Sem confirmar a mudança, o treinador fez questão de elogiar o empenho de quem tem ficado no banco. "A cada rodada, a gente vê que os jogadores estão se apresentando como opções. E isso é bom", disse.

Para o jogo de hoje, a tendência é a manutenção do esquema de jogo que prioriza a forte marcação do meio para trás e busca alternativas de ataque em velocidade pelos lados do campo. "Nosso time tem essa característica de velocidade e não vai abrir mão disso", reconhece o atacante Biro Biro, que infernizou a vida dos paranaenses no último domingo. Diego Oliveira segue pelo meio do ataque e Felipe Azevedo será a "válvula de escape" pelo lado de esquerdo.

O trio, que tem sido bastante elogiado, vem mostrando facilidade para fazer a inversão de posicionamento durante as partidas. "Os adversários estão nos conhecendo um pouco mais a cada dia. Cabe ao nosso time criar a saída para continuar bem na competição", reforça o zagueiro Pablo.

Depois da partida, a Macaca ainda fará outras duas seguidas longe de Campinas. Domingo, como mandante, vai encarar o Palmeiras, em Cuiabá. Na quarta-feira, dia 8, vai à capital paranaense para enfrentar o Coritiba. "Gosto de jogar fora. O desafio me estimula", afirma o goleiro Marcelo Lomba.

Tite quer encerrar a irregularidade

O objetivo do Corinthians hoje é acabar com o "perde e ganha" no Campeonato Brasileiro e vencer o segundo jogo seguido para se consolidar no bloco de cima. O time alvinegro faz um início irregular, ainda não conseguiu três vitórias seguidas e o técnico Tite reconhece que a equipe precisa oscilar menos se quiser brigar pelo título.

Com a volta do volante Elias, que disputou a Copa América com a Seleção Brasileira, o treinador abandona o esquema com três atacantes utilizado contra o Figueirense para reforçar o meio de campo e não dar muito espaço para a Ponte Preta.

No último sábado, a linha de frente foi formada por Luciano, Vagner Love e Malcom. O treinador, no entanto, não terá Luciano até pelo menos o próximo dia 26 porque ele está com a Seleção Brasileira sub-22 que se prepara para disputar os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá.

O objetivo de Tite é que o seu time fique mais tempo com a bola. "Coloquei jogadores com qualidade de passe e função de marcação também, acredito no ponto de equilíbrio." Os meias Renato Augusto e Jadson já foram avisados de que terão de ajudar mais Bruno Henrique e Elias na marcação para tentarem diminuir o campo de ação de Renato Cajá, principal jogador da Ponte Preta e um dos destaques do campeonato. "Renato Cajá é meia de armação na sua essência, um armador e organizador. Estamos com dificuldades de encontrar esse tipo de jogador no futebol brasileiro", disse o técnico.

O garoto Malcom também deve voltar para ajudar na defesa. Apenas Vagner Love jogará com mais liberdade, mesmo assim terá de marcar a saída de bola da Ponte. Tite quer um time compacto, que não dê espaço ao adversário. Além da volta de Elias, outra mudança na equipe em relação ao time que bateu o Figueirense é o retorno de Fagner à lateral direita. Ele cumpriu suspensão e recupera a vaga que foi ocupada por Edílson. (AE)

NOTAS DA MACACA

Juiz

O árbitro Thiago Duarte Peixoto, sorteado para apitar a partida de hoje, já esteve em campo em cinco rodadas do Brasileirão e não comprometeu. Apitou Flamengo 0x2 Atlético-MG, São Paulo 3x2 Santos, Atlético-PR 1x0 Atlético-MG, Figueirense 0x0 Vasco e Fluminense 1x0 Joinville.

Polêmica

Thiago é aquele que aparece em uma foto na internet ao lado do pai oferecendo uma camisa do Corinthians para a Santa Casa de Barretos. O retrato foi tirado em 2011, depois que sua mãe, dona Neide, havia morrido de câncer. O presente foi para um leilão beneficente organizado pelo hospital.

Amigo

O uniforme foi doado ao árbitro pelo goleiro e amigo de infância Rafael Santos, ex-Portuguesa, que hoje atua pelo Guarani. Aos 36 anos, o juiz é filho do ex-zagueiro Carlos, que defendeu a Ferroviária nos anos de 1970. Ele é professor de educação física e faz parte da categoria Aspirante Fifa.

Guto completa 100 partidas no comando

Certamente usando a sua tradicional camisa amarela, o técnico Guto Ferreira atinge hoje, contra o Corinthians, a marca de 100 partidas no comando da Ponte. Contratado na reta final do Brasileirão de 2012, dirigiu a Macaca em 41 partidas em sua primeira passagem, até a demissão pela derrota por 4 a 0 diante do mesmo rival de hoje, que provocou a eliminação nas quartas de final do Paulista de 2013.

Guto saiu com 55,3% de aproveitamento depois de quebrar o recorde de invencibilidade do clube no Estadual. Foram 19 vitórias, 11 empates e 11 derrotas, além de 55 gols marcados e 34 sofridos.

O treinador retornou ao clube após a 11 rodada da Série B do ano passado e encerrou a temporada como vice-campeão, conquistando o acesso a quatro rodadas do término. Também comandou o time em uma partida pela Copa do Brasil 2014 e em outros 30 jogos em 2015. Destes, 16 foram pelo Paulista, cinco pela Copa do Brasil e nove pelo Brasileirão. "Não tem como não lembrar de todos que me ajudaram a chegar até aqui", comentou Guto, que tem 50 vitórias, 25 empates e 24 derrotas pela Ponte, aproveitamento de 58,9%. Completando o 100 jogo, fica só a dois de Carbone, o 10 na lista dos técnicos que mais dirigiram a Macaca. (PS/AAN)