Publicado 01 de Julho de 2015 - 22h08

Por Jaqueline Harumi

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Campinas pediu nesta quarta-feira, 01, à Justiça mandado de prisão preventiva para seis integrantes de uma quadrilha especializada em roubo de carga na região e encerrou a investigação do assalto ao caminhão da transportadora Rodo Import, na marginal da Rodovia Anhanguera, perto do acesso ao Anel Viário Magalhães Teixeira, registrado no último dia 14 de maio. Na ação criminosa, ao menos 15 homens armados de fuzil e espingarda rendeu o motorista do veículo carregado com componentes e peças da empresa Samsung, avaliados em cerca de R$ 800 mil, o atravessou na via e abordou vários outros motoristas que passavam pelo local.

Dos seis acusados pelo crime, quatro foram presos em Sumaré com mandados de prisão temporária no decorrer da investigação. Dois dos criminosos, Júlio César Viana Rodrigues, o "Juninho" , e Renato Fernandes, o "Caveira" , foram detidos durante operação da Delegacia de Investigação sobre Entorpecentes (Dise) e do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc) no início de junho, acusados de integrar quadrilha de tráfico de drogas - outras três pessoas foram detidas. Na ocasião, foram apreendidos cinco fuzis, quatro pistolas e um revólver, dezenas de carregadores de armas, 926 projéteis, cinco coletes balísticos, cinco veículos de luxo, uma moto e R$ 22 mil. Já Milton Neves, o "Dinho" , foi detido no último dia 23, no Jardim Santa Maria, região do Nova Veneza, e Ronald Marques Alves Campos, o "Boy" , que havia fugido durante a operação do Denarc foi preso anteontem no Parque das Nações. Ainda são considerados foragidos Vanderlei Domingo Espírito Santo Leopoldino, o "Espírito Santo" , e Anderson Parra Pereira, o "Pezão" .

O delegado titular da DIG, Carlos Henrique Fernandes, afirma que alguns dos integrantes identificados participaram de outros roubos de carga de repercussão na região e que continuam sob investigação. "Nós sabemos que todos tinham um papel muito importante neste grupo" , reforçou. Os equipamentos levados na ação criminosa que se desfecha não foram localizados. "A carga é de difícil rastreamento porque são peças secundárias, não o aparelho celular em si" , lembrou.

Mais um roubo

Quatro dias após a divulgação da queda de roubo de cargas na Região Metropolitana de Campinas (RMC) registrada em maio em comparação com o mesmo mês do ano passado e em relação ao acumulado do ano, mais um crime do gênero envolvendo milhões foi registrado em Campinas. De acordo com a DIG, responsável pela investigação, o alvo da vez foi um barracão da PLK Log, uma empresa de logística no ramo farmacêutico, no Chácara Campos dos Amarais. Dez a 15 criminosos teriam participado da ação, que levou cerca de R$ 10 milhões em produtos farmacêuticos e durou cerca de sete horas entre a madrugada e a manhã de domingo. O único segurança do local foi rendido por um assaltante armado, foi amarrado e mantido em um cômodo durante a ação criminosa, que foi registrada no 1º Distrito Policial.

Escrito por:

Jaqueline Harumi