Publicado 07 de Julho de 2015 - 16h51

Atualmente, existem diversos tratamentos que prometem acabar com elas, mas vale lembrar que é necessário ter acompanhamento de um especialista para não errar na escolha

Reprodução/ Foto Ilustrativa

Atualmente, existem diversos tratamentos que prometem acabar com elas, mas vale lembrar que é necessário ter acompanhamento de um especialista para não errar na escolha

Estrias são cicatrizes formadas depois que as fibras elásticas e de colágeno da pele são destruídas. Surgem quando há uma diminuição da espessura da pele, o que facilita o estiramento do tecido. Atualmente, existem diversos tratamentos que prometem acabar com elas, mas vale lembrar que é necessário ter acompanhamento de um especialista para não errar na escolha.

Adriana Benito, médica da rede Pró-Corpo Estética Avançada, esclarece o que é falso e o que é verdadeiro sobre o assunto. 

1-) Coçar a pele dá estrias - MITO!

A coceira pode ser causada por uma infinidade de fatores. Ela pode ser um sintoma de que a estria está se formando, mas não é a causa. A pele coça porque está sendo estirada, e não o contrário.  

2-) O efeito sanfona (engordar e emagrecer em curto intervalo de tempo) é o principal causador de estrias. VERDADE!

Quando engordamos, a pele é distendida e forçada ao limite de sua elasticidade. Quando emagrecemos, o tecido afrouxa, já com as marcas de estiramento. Funciona como uma bexiga: depois de cheia, mesmo se esvaziada, não terá a mesma elasticidade.

3-) Colocar prótese de silicone provoca estrias. MITO!

A prótese não causa a estria. O que causa a estria é a condição prévia da pele, além do tamanho da prótese a ser colocada.

4-) Tomar sol ajuda a eliminar as estrias. MITO!

As estrias brancas são atróficas, ou seja, mais claras do que a pele normal. Durante o bronzeamento, a pele natural pigmentará, aumentando o contraste com as estrias brancas. No caso das estrias vermelhas, que são cicatrizes recentes, pode ocorrer a pigmentação das linhas, que ficam mais escuras do que a pele normal. Em ambos os casos, há pigmentação, mas não eliminação do problema. 

5-) Hidratante ajuda a prevenir estrias. VERDADE!

Usar hidratante, de fato, não impede que você tenha estrias, mas uma pele mais hidratada tem menor chance de desenvolvê-las.

6-) Engravidar depois dos 30 anos não causa estrias. MITO!

Estrias não estão relacionadas à idade das mulheres, mas, sim, à condição da pele, que pode ter maior ou menor elasticidade.

7-) Passar óleo de amêndoas no corpo previne estrias. MITO!

O óleo de amêndoas puro não consegue penetrar na pele ressecada. A pele desidratada necessita de um emoliente à base de água, não de óleo. Ele pode até evitar o ressecamento da pele, criando uma barreira impermeável que impede a desidratação, mas não tem o poder de dar mais elasticidade à pele.

Tem jeito?

Atualmente, há uma gama de tratamentos disponíveis no mercado, que ajudam a eliminar ou suavizar as estrias. Conheça abaixo os mais utilizados.

- A Carboxiterapia é um dos procedimentos mais indicados para o tratamento de estrias, desde as mais recentes (vermelhas) até as mais antigas (brancas). Baseado na aplicação de gás carbônico, esse procedimento causa inflamação dentro dessas “cicatrizes”, seguida da formação de casquinhas, que acabam por afinar as marcas e contribuir para produção de colágeno, o que fortalece o tecido da pele. Recomendado para todos os tipos de pele, melhora a oxigenação do tecido e estimula a produção de colágeno.

- O Peeling de Diamante é uma técnica de esfoliação realizada por meio de uma ponteira de diamante, incentivando a renovação celular. Além de tratar estrias superficiais e melhorar a aparência geral da pele, também contribui para a produção de colágeno. Pode ser associado ao peeling químico para otimizar o resultado. É mais indicado para estrias brancas, mas também pode ser utilizado no tratamento de estrias vermelhas.

- O Peeling Químico tem como objetivo promover uma verdadeira troca de pele, por meio da descamação do tecido epidérmico. Baseado na aplicação de substâncias químicas sobre a pele, gera resultados incríveis e também é indicado para atenuar as marcas de acne, de rugas superficiais e profundas. É mais indicado para estrias brancas e peles claras.

- Radiofrequência e a Luz Pulsada têm o objetivo de aquecer o tecido mais profundo a fim de produzir colágeno e elastina, que dão firmeza e sustentação à pele. Isso possibilita afinar as estrias e deixá-las mais próximas ao tom da pele do paciente. A luz pulsada é mais indicada para as estrias vermelhas em peles claras, pois também colabora para a melhora do processo inflamatório agudo, evidentes quando as estrias ainda estão vermelhas. Já a radiofrequência auxilia no tratamento da flacidez da pele, estimulando o colágeno, e pode ser indicada para todos os tipos de pele.

Ainda que existam todos esses tratamentos para nos ajudar a combatê-las, o melhor mesmo é evitar o surgimento delas. Por isso, a especialista dá dicas de prevenção:

* Pratique atividades físicas – isso colabora para manter a pele firme e ajuda a controlar o peso, o principal causador de estiramento da pele.

* Mantenha a pele hidratada – porque assim ela ficará mais resistente a rupturas. Um bom hidratante que tenha óleo de semente de uva, macadâmia, amêndoas ou rosa mosqueta em sua composição ajuda na hidratação. Lembrando que, ainda que esses produtos tenham óleos em sua composição, deve-se priorizar fórmulas à base de água. Além disso, manter uma dieta saudável e beber muita água são hábitos que auxiliam no equilíbrio hídrico da pele.

* A vitamina C também é uma grande aliada, pois induz a produção de colágeno, uma das principais substâncias de sustentação da pele. As vitaminas A, E e B5 e o zinco também estão envolvidos no processo de equilíbrio da pele.