Publicado 13 de Julho de 2015 - 20h56

Por Milene Moreto

Milene Moreto

Cedoc/RAC

Milene Moreto

Mais uma vez

A defesa da ex-primeira-dama de Campinas Rosely Nassim Jorge Santos conseguiu, mais uma vez, protelar o julgamento do Caso Sanasa. Agora que tudo caminhava para o desfecho final, os advogados terão o prazo ampliado para suas considerações. Tem quem diga que a tentativa é fazer com que alguns crimes prescrevam. No entanto, tudo dependerá da pena que será estipulada pelo juiz da 3ª Vara Criminal, Nelson Augusto Bernardes. A estimativa era que a sentença fosse dada em setembro.

Novos prazos

Com o habeas corpus conquistado pela defesa de Rosely, a sentença agora passa a ser prevista para novembro. O processo tramita na Justiça de Campinas há quatro anos e com uma série de intervenções dos advogados dos 21 réus. No último mês o Ministério Público entregou os memoriais finais com o pedido de pena para cada um deles. O maior é para Rosely, de 450 anos, que é apontada como chefe da quadrilha.

A FRASE

A melhor conquista do nosso governo é a paz política que a cidade vive. Claro, você tem problemas. Mas aquela confusão toda é coisa do passado. 

Do prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), ao falar sobre o que considera como avanços em sua gestão

Economia

Preocupado com o momento econômico no Brasil, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), tem buscado no governo do Estado apoio para obras na cidade e para projetos que garantam emprego. Não que a situação financeira do governador Geraldo Alckmin (PSDB) esteja saudável, mas o tucano é o aliado mais próximo do prefeito e a quem ele pode recorrer numa situação crítica. Parece que a conversa entre os dois renderá bons frutos.

Balanço

Mesmo com a crise econômica, Jonas afirma que conseguiu avançar em diversas áreas, mas diz que sua principal conquista é a estabilidade política. Diante de crises como na área da Saúde, com a epidemia recorde da dengue na cidade, o peessebista afirmou que o setor melhorou na contratação de médicos e na abertura de leitos e que hoje tem atraído até pacientes de convênios.

Guichê

Os vereadores ainda estão no meio do recesso, mas a fila na porta do gabinete do secretário de Relações Institucionais de Campinas, Wanderley Almeida, não diminui por causa disso. A espera pelo atendimento, comentam, supera a de muitas repartições públicas.

Vice

Os parlamentares aproveitam a pausa nas sessões para cuidar das articulações de 2016. E quem anda bem na fita é Marcos Bernardelli (PSBD). Seu nome vem sendo colocado com uma via para a candidatura de vice na chapa de Jonas. Mas pessoas próximas ao prefeito defendem que o também tucano Henrique Magalhães Teixeira continue no posto.

Ops!

A coluna publicou ontem uma nota sobre ondulações grosseiras no asfalto da entrada dos ônibus da rodoviária e do Terminal Metropolitano Prefeito Magalhães Teixeira. A informação era que nem a Prefeitura nem a Socicam e nem a Transurc se responsabilizam pela área. Só que a área não é usada pela Transurc, mas pela EMTU, que faz o transporte metropolitano. A Transurc, responsável pelo transporte coletivo municipal, não tem nada com a história. Está dito!

Ecológico

A Prefeitura de Campinas lança hoje novamente a licitação para a obra do Teatro de Ópera Carlos Gomes, no Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim. Um edital havia sido publicado no dia 26 de fevereiro, mas acabou cancelado no mês seguinte, após 11 empresas interessadas mandarem pedidos de impugnação. A construção foi orçada em R$ 83 milhões e os envelopes devem ser abertos no dia 18 de agosto. O teatro será construído em uma área de 9 mil metros quadrados e terá capacidade para 1.230 pessoas.

COLABOROU CECÍLIA POLYCARPO/AAN

Escrito por:

Milene Moreto