Publicado 12 de Julho de 2015 - 21h46

Por Renata Passos

“Tenho tantas coisas para fazer que não sei por onde começar...."

"Só de pensar nas pendências e na agenda atrasada como sempre, me bate um desânimo. Com a falta de motivação, acabo empurrando tudo para frente, procrastinando e fico cada vez mais atrasado"!

"Os clientes sumiram, as contas não! Tenho uma agenda toda de clientes para telefonar, renegociar com fornecedores, acertar tantas coisas e ainda preciso dar conta da agenda das crianças. Falta tempo e dinheiro. Se pelo menos eu tivesse um deles..."!

Quando o tempo parece muito curto para tantas demandas, a sensação de desânimo é inevitável.

O trabalho perde o seu lado divertido, sim trabalho deve ser divertido por mais sério que ele seja- e ele vira um peso a mais a carregar.

Dá a sensação de correr, correr e não alcançar.

Para quem gosta de realizar muitas tarefas, ticá-las da lista no final do dia, traz uma sensação maravilhosa de prazer e satisfação.

Acontece que com o número de profissionais cada vez mais enxutos em todas as áreas de todos os negócios esta sensação, tem dado espaço para uma angústia de não ter feito nem a metade do que deveria.

Quando a agenda esta apertada demais é ruim. Sem nada também. Mas quem faz a agenda muitas vezes não somos nós.

O que fazer então, diante de um mundo que parece que anda cada vez mais rápido e nos traz a sensação que precisamos correr?

1.Mantenha um ritmo realizador, ou seja, uma medida pessoal e única de quantidade de tempo e de coisas a fazer. Conheço gente que após o almoço, dorme de pijama e quarto fechado por meia hora.

Quando volta ao trabalho, com mais energia e vontade de realizar e cumprir sua agenda.

Qual é o seu ritmo? Quanto tempo você precisa para descansar?

Qual horário sente mais cansaço?

Em que horário pode dar uma recarregada?

2.Por pior que esteja sua agenda da próxima semana, respire fundo e defina ;

·O que você não pode deixar de fazer?

·O que será muito importante e fará diferença no futuro;

·Coisas que você pode pedir para alguém fazer por você.

Quando minhas crianças eram pequenas, eu tinha uma pessoa que fazia supermercado para nós. Absurdo? Pode ser? Mas entre ficar as manhãs com elas e levar na natação e ballet e ficar ali nas atividades ou escolher batatas e desinfetante, eu escolhia as meninas.

Quando eu contava para as pessoas, as mulheres me olhavam com um ar de reprovação como se eu não dessa conta. Afinal conciliar trabalho e vida pessoal parece simples.

Como já havia percebido que a mulher maravilha era ficção, fazia minhas escolhas com tranquilidade, mas muitas vezes, a sociedade quer que você consiga fazer tudo. Não confie em quem consegue tudo e é perfeito!

Pior ainda quem lhe diz que equilibra muito bem. Em algumas épocas, a balança pende para algum lado. Não tem milagre!

3.Na sua agenda, defina um horário para terminar. O final não tem relação com o "tudo feito", mas com o POR HOJE CHEGA! Fiz meu melhor, o suficiente e dei o meu melhor. Feche a conta e "vire a página". Não leve para casa, muito menos para a cama as pendências.

Elas sempre estarão aí, por mais assertivo e eficiente que você acredite ser.

4.Se ainda assim, apesar de bem organizado e com rotina definida faltar tempo e você ainda deixar muitas pendências todo final de dia, a questão não é falta de tempo, mas dificuldade em estabelecer prioridades.

Esta dificuldade pode ser sua, do seu líder ou da empresa que muda de prioridade a cada dia.

Independente de quem seja a "culpa", vá direto ao ponto, a causa, e se for o outro, seja honesto e fale abertamente sobre essa situação.

Mas e se ele pensar que você está fazendo "corpo mole"?

Desde que você esteja fazendo o melhor, este medo é fantasia.

Pense no pior: ele percebe que você não sabe dizer não (todo líder gosta de um funcionário assim), mas apesar de deixá-lo feliz com sua prontidão, você não entrega!

O que é melhor: falar a verdade e fazer o que dá para ser feito da melhor maneira possível e por muito tempo ou omitir que esta sobrecarregado, atrasar com os prazos, trabalhar além de sua capacidade física e mental e pedir um afastamento por doença daqui a algum tempo?

Ou ainda ser demitido por falta de senso de urgência?

Poucos falam a verdade na hora de demitir alguém.

Boa parte das vezes conversas honestas reduziriam- e muito- tempo de seleção e contratação.

Um acredita que esta fazendo o melhor por trabalhar demais.

O outro acha que ele trabalha demais, porque não saber organizar a agenda e estabelecer prioridades! 

Dê um basta neste mal-entendido.

5.Por fim, fuja das distrações! Em tempos de excesso informação, filtre peneire e fique com o que faz diferença na sua vida.

Fique com o mínimo de assinaturas de revistas, exclua seu nome dos mailings de notícias, não dedique muito tempo aos noticiários, escolha livros com o cuidado de quem escolhe um alimento para um bebe.

Seja criterioso e trate seu tempo com o cuidado de algo que um dia lhe será tirado sem nenhum aviso.

Pois o tempo não dá folga pra ninguém e ele não costuma tratar bem quem não o valoriza!

Simples assim, só isso e falta de tempo nada mais é do que uma boa desculpa para não fazermos o que não faz sentido para nós!

Escrito por:

Renata Passos