Publicado 12 de Julho de 2015 - 17h19

Por Notícia Já

A Justiça do Distrito Federal condenou uma mulher a indenizar em R$ 100 mil uma menina adotada aos 6 anos de idade e que foi devolvida ao abrigo cinco anos depois por “mau comportamento”. O valor é referente a danos morais. Cabe recurso.

Segundo a ação, a menina e a irmã foram encaminhadas a uma instituição social após a morte da mãe. Ela foi adotada por uma procuradora federal de 76 anos e levada pra Salvador, onde ganhou outro nome.

A irmã foi adotada pelo filho da idosa, pra que elas mantivessem o convívio. Mas, 5 anos depois, a procuradora desistiu.

A defesa da menina diz que o retorno à instituição provocou prejuízos morais, uma vez que ela se viu rejeitada pela mãe adotiva. Além disso, ela alega que ter passado todo esse tempo tirou a oportunidade de ser adotada por outra família.

Para o juiz da 19ª Vara Cível de Brasília, que julgou o caso, a mulher agiu de forma “imprudente” ao fazer a menina acreditar que seria adotada e faria parte de uma nova família.

Escrito por:

Notícia Já