Publicado 11 de Julho de 2015 - 20h00

Os cupidos fogem dos erros de português e das fotos sensuais transmitidos nas conversas pela internet

Antonio Trivelin/ Gazeta de Piracicaba

Os cupidos fogem dos erros de português e das fotos sensuais transmitidos nas conversas pela internet

“Era perfeito, até que trocamos mensagens”. Esta frase é cada vez mais comum. Se você está solteiro, cuidado com a escrita em conversas pela internet ou por aplicativos de celular. Isto porque os cupidos fogem dos erros de português e das fotos sensuais, segundo pesquisa realizada pelo site de relacionamentos Par Perfeito, com 5,2 mil brasileiros.

Sim, se você já perdeu o encanto na paquera por causa dos erros de português ou porque a pessoa só pedia fotos sensuais, o famoso “manda nudez”, saiba que não é o único. Por dois anos, a vendedora Leila Mello, de 40 anos, manteve um relacionamento com um homem de sua idade, mas nunca conseguiu assumi-lo em público. “Em casa era tudo de bom, mas não dava para sair na rua. Toda vez que ele escrevia ‘com migo’ eu quase chorava. A primeira vez achei que fosse erro de digitação, mas depois vi que não era”, revela ela, que também teve outra experiência ruim, recentemente. “Há alguns meses, namorei um homem que falava errado e eu tinha vergonha. Era ‘bicicreta, grobo, pranta’, entre outras”.

O relacionamento da produtora de TV Stela Martins, de 45 anos, também chegou ao fim após um “menas”. “Gostava dele, mas acabei desistindo. Ele falava muito errado”, relembra.

Mas há também os que são mais compreensivos. De acordo com o comunicador social Francisco Lourenço, de 35 anos, se a sua companheira cometesse erros grotescos de português, em vez de abandoná-la, ele iria ensiná-la. “Quando há sentimento é isto que precisamos fazer, ajudar”, diz.

PESQUISA

Para entender o que afasta o cupido, a pesquisa do site Par Perfeito foi feita com 5,2 mil solteiros do Brasil. Com 34% dos votos, enviar fotos sensuais está no topo da lista. Em seguida, estão os erros de português, com 23%.

“Existem alguns erros que são aceitáveis e, provavelmente, também devo cometer, ninguém é obrigado a conhecer cada detalhe da ortografia e da gramática. Mas há outros, como o uso de ‘mas’ e ‘mais’, que são desanimadores”, desabafa a dentista Daniele di Tomazzi, de 33 anos.

A pesquisa também mostra o que mais incomoda as pessoas quando elas dão aquela primeira olhada no Facebook do paquera. Posts carregados de drama e excesso de selfies foram uns dos tópicos mais votados.

Em uma enquete feita pela Gazeta de Piracicaba pelas redes sociais, os erros de Português mais broxantes são: “pra mim fazer, agente, derepente, concerteza, menas e seje”.

Para a professora do curso de letras e de jornalismo da PUC Campinas Cyntia Andreatta, falta pró-atividade das pessoas para estudarem e lerem mais. "Eles não têm curiosidade de saber, principalmente os jovens. É difícil vê-los consultar dicionários. E, mesmo com a internet, que facilita a consulta, eles não procuram".

Ainda segundo a docente, a boa comunicação é fundamental para transmitir imagem de credibilidade. A boa articulação das palavras - de forma correta - é o marketing pessoal de cada um.

O professor Junio Suñe, de 38 anos, também não gosta de erros de português durante o bate-papo com uma futura pretendente. “Não é questão de idade ou de padrão de beleza do corpo, por exemplo, mas de cultura e de afinidades culturais. A mulher é também, ou ainda mais bonita pelos valores e pelos conhecimentos que ela tem e, nesse caso, o domínio da língua é um dos indicadores desse conhecimento cultural”, avalia.

Suñe reconhece que nem todo erro é falta de conhecimento da língua portuguesa, às vezes, só uma gíria da internet.