Publicado 08 de Julho de 2015 - 9h53

Por Agência Estado

Segundo IBGE, alta de preços desacelerou em julho em comparação com junho graças ao grupo Transporte

AFP

Segundo IBGE, alta de preços desacelerou em julho em comparação com junho graças ao grupo Transporte

A alta de 0,79% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em junho é a maior para o mês desde 1996, quando subiu 1,19%, informou nesta quarta-feira (8) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  Com o resultado, a inflação oficial acumula alta de 6,17% no primeiro semestre deste ano, o maior resultado neste confronto desde 2003 (6,64%). Em 12 meses até junho, a alta de 8,89% é a mais elevada desde dezembro de 2003 (9,30%), segundo o órgão.

Jogos

As loterias lideraram a lista de impactos sobre o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de junho. O item avançou 30,80%, em função do reajuste nos valores das apostas, vigentes a partir de 18 de maio. Com isso, os jogos de azar adicionaram sozinhos 0,12 ponto porcentual à inflação do mês passado, que avançou 0,79% informou o  IBGE.

Ao todo, jogos de azar, passagens aéreas e taxa de água e esgoto exerceram os três principais impactos no mês e responderam, sozinhos, por cerca de um terço do IPCA de junho. A contribuição total dos três itens foi de 0,29 ponto porcentual.

Acumulado

Apenas no acumulado de maio e junho, os jogos de azar subiram 47 50%. O resultado do mês passado ainda contribuiu para que o grupo Despesas Pessoais acelerasse de 0,74% em maio para alta de 1,63% em junho. Também influenciou a elevação de 0,66% no item empregado doméstico, "tendo em vista a importância desta despesa no orçamento das famílias", destacou o IBGE.

O segundo maior impacto veio das passagens aéreas, que ficaram 29,19% mais caras no mês passado, com impacto de 0,10 ponto porcentual no IPCA. Ainda assim, o item acumula queda de 32,71% no semestre.

Transporte

Devido às passagens, o grupo Transportes, acelerou a 0,70% no IPCA de junho. O resultado foi influenciado ainda pelos serviços de conserto de automóvel (1,70%), compra de automóveis usados (0 78%) e tarifas de ônibus urbano (0,40%). Nas tarifas, o resultado é reflexo de parte do reajuste de 12,50% em vigor desde 16 de maio na região metropolitana de Belém (6,72%).

O terceiro maior impacto no IPCA de junho veio da taxa de água e esgoto, que subiu 4,95% e respondeu por 0,07 ponto porcentual da taxa do mês passado. O resultado reflete reajustes em São Paulo (12,07%), Salvador (7,26%), Belo Horizonte (6,46%), Curitiba (4 93%), Rio de Janeiro (3,50%) e Recife (1,03%).

Com isso, o grupo Habitação subiu 0,86% em junho - um resultado ainda menor do que em maio (1,22%). Também pesaram no grupo despesas com artigos de limpeza (1,52%), condomínio (0,92%) e aluguel residencial (0,66%).

Escrito por:

Agência Estado