Publicado 09 de Julho de 2015 - 14h51

Por France Press

A chanceler alemã, Angela Merkel, reiterou nesta quinta-feira sua oposição à redução da dívida grega, um dia depois que a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) defender uma reestruturação da dívida soberana do país.

"Já disse que não que não planejo um perdão tradicional e isso não mudou entre antes de ontem e hoje", disse Merkel à imprensa durante uma visita à Sérvia.

Merkel se negou a comentar as últimas propostas do governo grego, que tenta chegar a um acordo com seus credores (União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) para obter um novo resgate, evitando, assim, sua saída da zona do euro.

"Agora mesmo não estou em posição [de comentá-las] e só poderei fazer isso quando as três instituições tenham feito uma avaliação", comentou.

Para ministro da Economia alemão, Wolfgang Schaeuble, um perdão "violaria o sistema da União Europeia e a União Europeia é um sistema de leis comuns".

A questão da dívida é central nas negociações entre a Grécia e seus credores, que esperam nesta quinta-feira antes da meia-noite (22h00 GMT) o "plano completo" de reformas que o primeiro-ministro grego Alexis Tspiras prometeu na quarta-feira em troca de um terceiro resgate financeiro.

Escrito por:

France Press