Publicado 08 de Julho de 2015 - 15h44

Por France Press

Berlusconi, que desejava se candidatar ao Parlamento Europeu em maio, foi considerado inelegível depois da condenação

France Press

Berlusconi, que desejava se candidatar ao Parlamento Europeu em maio, foi considerado inelegível depois da condenação

O tribunal de Nápoles (sul) condenou nesta quarta-feira (8) o ex-chefe de governo italiano Silvio Berlusconi a três anos de prisão por corrupção quando senador, uma pena que não será aplicada. Esta condenação, pronunciada pela presidente do tribunal Isabella Romani, na ausência do acusado, não será aplicada porque o delito em questão será prescrito no outono (boreal), muito antes de um eventual julgamento de apelação.

"É um belo processo, apaixonante, mas a iminente prescrição elimina, do ponto de vista das consequências, todo o pathos do veredicto", declarou mais cedo o procurador Henry John Woodcock. Segundo a imprensa italiana, a prescrição ocorrerá em outubro ou novembro o mais tardar.

Eleições de 2006

O caso remonta às eleições legislativas de 2006, vencidas pela coalizão liderada por Romano Prodi, que dispunha de uma pequena maioria no Senado. Poucos meses após essas eleições, Sergio De Gregorio, senador eleito por um dos pequenos partidos da coalizão de Prodi, o IDV, trocou pelo partido de Berlusconi.

Esta decisão tornou ainda mais frágil a maioria governamental e acelerou a queda do governo em 2008. Segundo a promotoria, o Cavaliere depositou três milhões de euros, dois em espécie, a Sergio De Gregorio para esta troca.

Segundo o procurador Vincenzo Piscitelli, tratou-se de "um investimento colossal visando como único resultado o que interessava Berlusconi, mandar Prodi para casa e assumir seu lugar".

Escrito por:

France Press