Publicado 07 de Julho de 2015 - 10h24

Por France Press

População foge dos combates no Sudão do Sul

France Press

População foge dos combates no Sudão do Sul

O número de civis sul-sudaneses refugiados nas bases das Nações Unidas no país ultrapassou os 150 mil pela primeira vez desde o início da guerra civil, há 18 meses, indicou a ONU nesta terça-feira (7). Um total de 153.769 civis se refugiam nas seis bases da Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul (Minuss), dos quais alguns estão ali desde o início dos combates, em dezembro de 2013.

Desde então, dezenas de milhares de pessoas se somaram a eles, especialmente após a intensificação dos combates em abril. Mais de 10.000 pessoas chegaram apenas na semana passada, segundo os números apresentados pela Minuss.

Epidemia

Em Juba, a capital onde 28 mil se amontoam em duas bases da ONU, os trabalhadores humanitários lutam para aplacar uma epidemia de cólera que explodiu há um mês, deixando ao menos 32 mortos.

Mais de 91 mil pessoas se refugiam em Bentiu, capital do estado de Unidade (norte), onde a ONU denunciou recentemente as atrocidades cometidas pelo exército sul-sudanês contra civis, especialmente mulheres e meninas.

Em Malakal, capital do estado petrolífero do Alto Nilo, hoje reduzida a ruínas, há mais de 30 mil refugiados. O país, que na quinta-feira (9) completa quatro anos de independência, sofre há um ano e meio com a guerra civil que opõe o presidente sul-sudanês, Salva Kiir, e seu ex-vice-presidente Riek Machar, acusado de preparar um golpe de Estado.

Escrito por:

France Press