Publicado 07 de Julho de 2015 - 10h17

Por France Press

300 mil judeus foram mortos nas câmaras de gás do campo de Auschwitz

Cedoc/RAC

300 mil judeus foram mortos nas câmaras de gás do campo de Auschwitz

A promotoria da Alemanha pediu uma pena de três anos e meio de prisão para Oskar Groning, de 94 anos, ex-contador do campo de extermínio nazista de Auschwitz, por "cumplicidade" na eliminação de 300.000 judeus nas câmaras de gás.

O promotor de Hanover, Jens Lehmann, levou em consideração a "contribuição menor" de Groning e o "número quase inimaginável de vítimas" para solicitar a pena de três anos e seis meses de prisão.

"Estamos diante de um acontecimento que fica no limite da imaginação humana", disse o promotor, ao fim de dois meses e meio de audiências no tribunal de Luneburgo (norte).  Durante o processo, as testemunhas falaram sobre o inferno dos campos de concentração e extermínio.

Operação Hungria

O contador de Auschwitz pode ser condenado a uma pena de três a 15 anos de prisão, mas o promotor optou por solicitar apenas um pouco mais que o mínimo.

Oskar Groning é acusado de ter participado na "Operação Hungria", iniciada em 1944 e que seguiu até o fim da Segunda Guerra Mundial, ação que terminou com a morte de 300.000 judeus procedentes da Hungria nos campos de concentração.

O promotor insistiu na "contribuição subalterna" do ex-contador do campo de extermínio e destacou a constante vontade de explicação do réu.

Groning é acusado de ter "ajudado o regime nazista a obter benefícios econômicos do extermínio", enviando o dinheiro dos deportados a Berlim e, sobretudo, de ter participado na "seleção" dos deportados aptos para o trabalho e dos que eram imediatamente exterminados.

Antes de justiça entrar em ação, Oskar Groning falou de maneira espontânea sobre seu passado nazista em várias entrevista.

Durante o julgamento, Groning declarou que havia cometido uma "falha moral".

O processo de Groning pode ser o último julgamento de um ex-nazista na Alemanha.

Escrito por:

France Press