Publicado 06 de Julho de 2015 - 9h31

Por Agências Brasil e France Press

Varoufakis admite demissão do governo dependendo do resultado do referendo de domingo

Aris Messinis/France Press

Varoufakis admite demissão do governo dependendo do resultado do referendo de domingo

O Eurogrupo anunciou nesta segunda-feira (6) que vai se reunir nesta terça (7), às 13h (hora local), em Bruxelas para analisar o resultado do referendo de domingo (5) na Grécia, em que venceu o não. O Eurogrupo espera que a Grécia apresente novas propostas aos credores internacionais.

A reunião dos ministros das Finanças da zona do euro, que já não terá a presença do ministro das Finanças, Yannis Varoufakis, que pediu demissão hoje, antecede uma reunião de cúpula extraordinária dos países da moeda única, agendada para as 18h locais.

Resultado

Nesse domingo, os gregos rejeitaram, por ampla maioria, as propostas dos credores internacionais (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), abrindo caminho à incerteza sobre a permanência da Grécia na zona do euro. O não às propostas dos credores obteve 61,31% no referendo, segundo números definitivos divulgados pelo Ministério do Interior.

Com a totalidade dos votos contados, o sim foi a escolha de 38,69% dos gregos, enquanto 5,8% foram brancos ou nulos. A abstenção foi 37,5%, em um universo de quase 10 milhões de eleitores.

Novas propostas

O Eurogrupo espera que a Grécia apresente novas propostas aos credores internacionais, depois do referendo do domingo no país, em que venceu o 'Não'.

"Os ministros esperam novas propostas das autoridades gregas", segundo um comunicado do fórum dos ministros da Economia da zona euro, marcado paras as 13:00 (12:00 em Lisboa) de terça-feira, em Bruxelas.

A reunião dos ministros das Finanças da zona euro, que já não contará com a presença de Yannis Varoufakis, que nesta segunda apresentou a demissão, antecede uma cimeira extraordinária dos países da moeda única, agendada para as 18h (horário local).

Conversa por telefone

O primeiro-ministro grego Alexis Tsipras concordou, em uma conversa por telefone com a chanceler alemã Angela Merkel, que Atenas apresente nesta terça-feira, na cúpula europeia, novas propostas do governo grego visando a um acordo com os credores UE e FMI, afirma um comunicado oficial.

Depois da vitória arrasadora do "Não" no referendo de domingo, Tsipras assegurou que a mensagem das urnas não supõe uma ruptura com a Europa e sim um reforço do poder de negociação de Atenas para seguir com seu empenho de conseguir um acordo com os credores sobre o futuro financeiro da Grécia.

Novo ministro

Euclide Tsakalotos, atual coordenador da equipe negociadora grega, será o novo ministro das Finanças da Grécia, anunciou nesta segunda-feira a presidência grega.Tsakalotos, um economista discreto que também é vice-ministro das Relações Exteriores, prestará juramento nesta segunda-feira às 17h GMT (14h de Brasília), indicou a presidência, e substituirá Yanis Varoufakis, que renunciou ao cargo após o "Não" no referendo grego de domingo para facilitar as negociações com os credores.

Euclide Tsakalotos é o novo ministro das Finanças da Grécia

Encarregado dos assuntos econômicos internacionais, nascido em Roterdã (Holanda) e formado na universidade britânica de Oxford, Tsakalotos, 55 anos, foi nomeado no final de abril o coordenador da equipe grega de negociações em Bruxelas após o isolamento de Vafourakis por seus pares durante as reuniões da zona do euro.

O novo ministro terá a dura tarefa de recuperar a confiança entre seu país e os grandes meios financeiros europeus depois de cinco meses de negociações, a fim de chegar a um acordo sobre o pagamento da dívida grega.

Bancos fechados

Os bancos gregos permanecerão fechados até a próxima quarta-feira (8), com os limites de saques determinados pelo controle de capitais, informou a agência de notícias estatal nesta segunda-feira.

A situação do sistema bancário grego depende das decisões do Banco Central Europeu, cujo Conselho de Governadores se reúne nesta segunda-feira, por teleconferência, para decidir sobre o financiamento de emergência conferido aos bancos gregos.

Escrito por:

Agências Brasil e France Press