Publicado 04 de Julho de 2015 - 14h36

Por France Press

Duas das três estudantes britânicas que fugiram em meados de fevereiro de Londres para a Síria, casaram-se com jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI), informou neste sábado (3) o advogado de suas famílias.

Kadiza Sultana, de 16 anos, Shamima Begum e Amira Abase, de 15 anos, tomaram um voo para Istambul em fevereiro antes de alcançar  a Síria.

Duas das três meninas, alunas do ensino médio, fizeram contato com suas famílias para anunciar que se casariam em cerimônias validadas pelo grupo jihadista EI, segundo indicou o advogado das famílias, Tasnime Akunjee, ao jornal britânico Guardian.

Elas também revelaram que estavam vivendo em Raqa - "cidade modelo" do califado do EI - ou em seus arredores, segundo a mesma fonte.

"Isto reduz consideravelmente as esperanças de vê-las novamente", ressaltou o advogado.

De acordo com o Guardian, as adolescentes que frequentavam a mesma escola, no popular bairro de Bethnal Green (leste de Londres), puderam escolher seus maridos, com idades entre 20 anos, em um "catálogo" de homens.

No final de março, outras quatro adolescentes britânicas da mesma escola foram impedidas pela justiça de deixar o país.

Outra adolescente, Sharmeena Begum, de 15 anos, também aluna da Bethal Green Academy, deixou o país em dezembro e, segundo as autoridades, estaria na Síria.

De acordo com um relatório do Instituto para o Diálogo Estratégico, publicado no início deste ano, cerca de 550 mulheres de países ocidentais se juntaram ao grupo EI no Iraque ou na Síria.

Segundo dados oficiais, entre 600 e 700 britânicos teriam partido para combater na Síria, dos quais cerca de 300 retornaram ao Reino Unido.

Escrito por:

France Press