Publicado 03 de Julho de 2015 - 11h47

Por France Press

Juíza reconhece colega de infância durante julgamento de suspeito de roubo a residência nos Estados Unidos

Reprodução

Juíza reconhece colega de infância durante julgamento de suspeito de roubo a residência nos Estados Unidos

Arthur Booth, um homem de 49 anos foi condenado nos Estados Unidos por dirigir um carro que havia participado em um assalto a residência e dar início a uma grande perseguição da polícia norte-americana. O que ele não esperava era ser condenado por ordem da juíza Mindy Glazer, que o reconheceu como um colega de escola na infância. O homem, quando percebe de quem se trata, não segura a emoção e chora copiosamente. O caso aconteceu na última quinta-feira (2).

Após aplicar a pena contra o suspeito, a juíza pergunta ao acusado: "Senhor Booth, tenho uma pergunta. Você frequentou [a escola] Nautilus?". Sem conter as lágrimas o homem debruçou sobre a mesa na sua frente e dizia repetidamente "Oh meu Deus! Oh meu Deus!".

O homem foi preso na última segunda-feira por roubo qualificado de um veículo Honda Accord Dourado que teria sido utilizado em um assalto a uma residência. Ao tentar fugir dos policiais, Booth acabou preso e condenado por roubo e resistência à prisão.

A juíza ainda comentou que sentia muito em saber qual foi o destino que seu colega de infância teve. "Sinto muito vê-lo aí. Sempre me perguntei o que teria acontecido com o senhor", disse a magistrada.

O suspeito continuava a chorar enquanto a juíza finalizou seu pronunciamento. "Ele era o garoto mais legal da escola, foi o melhor menino do ensino fundamental", afirmou. "Eu costumava jogar futebol [americano] com ele, e olha o que aconteceu."

Depois das palavras da juíza, o homem tentou falar, mas recebeu o chamado dos seguranças para deixar o local. O acusado deverá permanecer preso ou poderá pagar uma fiança de aproximadamente R$ 135 mil.

Veja o vídeo

Escrito por:

France Press