Publicado 03 de Julho de 2015 - 10h35

Por France Press

Coluna de fumaça é vista após explosão na Líbia

France Press

Coluna de fumaça é vista após explosão na Líbia

Um dirigente jihadista tunisiano e veterano da Al-Qaeda foi abatido em uma operação americana na Líbia no mês passado, revelou nesta sexta-feira (3) o The New York Times. Seifallah Ben Hassine, líder do grupo Ansar Asharia, proibido na Tunísia, foi abatido em meados de junho durante uma operação aérea contra outro dirigente da Al-Qaeda, o argelino Mokhtar Belmokhtar, afirma o jornal.

Ben Hassine coordenou uma campanha de assassinatos e ataques, segundo o jornal, que aponta que estava vivendo na Líbia desde 2013. O jornal afirma que a Rádio Mosaique da Tunísia foi a primeira a dar a informação, e que o jornal a confirmou através de um funcionário de alto escalão americano em Washington.

Operação

A Ansar Asharia, um dos principais movimentos jihadistas tunisianos, é considerada terrorista por Tunísia e Estados Unidos. Washington havia anunciado em meados de junho que havia realizado uma operação no Leste da Líbia para tentar matar o dirigente jihadista Mokhtar Belmokhtar.

O governo líbio reconhecido pela comunidade internacional afirmou na época que Belmokhtar havia morrido no ataque, mas a Al-Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI) o desmentiu. Ben Hassine, também conhecido como Abu Ayadh, figura em uma lista negra da ONU desde 2002 por seus vínculos com a Al-Qaeda. Esteve detido na Tunísia, mas se beneficiou de uma anistia após a queda do ditador laico Zine El Abidine Ben Ali.

Teria combatido ao lado de Osama Bin Laden no Afeganistão em 2001, antes de se deslocar ao Paquistão e depois à Turquia, onde foi detido, segundo o jornal.

Escrito por:

France Press