Publicado 02 de Julho de 2015 - 13h36

Por France Press

Ivan Scalfarotto, de 49 anos, é ativista da causa homossexual

Vincenzo Pinto/France Press

Ivan Scalfarotto, de 49 anos, é ativista da causa homossexual

O vice-ministro italiano para as relações com o parlamento, Ivan Scalfarotto, anunciou nesta quinta-feira (2) que está em greve de fome desde segunda-feira para exigir a aprovação da união civil para casais gays. A Itália é o último país da Europa Ocidental que não tem uma lei para regular e legalizar o casamento entre casais do mesmo sexo.

Um projeto de lei aprovado pelo primeiro-ministro Matteo Renzi está bloqueado no parlamento, apesar de ter o apoio de uma grande maioria dos parlamentares. Centenas de alterações foram apresentadas pela oposição de centro-direita, contrárias a direitos tais como a adoção de crianças ou acesso a pensão do parceiro em caso de morte.

Silêncio

Em 20 de junho, milhares de pessoas manifestaram-se em Roma contra o projeto de lei, o mesmo dia em que se comemora o Dia do Orgulho Gay, que também teve a participação de milhares de pessoas. Scalfarotto, de 49 anos, ativista da causa homossexual, lamentou o silêncio "ensurdecedor" de tantas "pessoas boas".

"É hora de fazer alguma coisa", disse Scalfarotto, elogiando a decisão do Supremo Tribunal dos Estados Unidos de legalizar o casamento homossexual em todo o país. O vice-ministro decidiu manter a greve de fome "até que tenha a certeza de que acabará essa violação dos direitos humanos", disse ele.

Escrito por:

France Press