Publicado 01 de Julho de 2015 - 15h42

Por France Press

Sir Nicholas Winton, o "Schindler britânico", faleceu nesta quarta-feira

Cedoc/RAC

Sir Nicholas Winton, o "Schindler britânico", faleceu nesta quarta-feira

Sir Nicholas Winton, o "Schindler britânico" que salvou 669 crianças tchecas e eslovacas, judias em sua maioria, de uma morte certa nos campos de concentração nazistas, faleceu nesta quarta-feira aos 106 anos, anunciou o Rotary club de Maidenhead (sul). "É com grande tristeza que devo anunciar que Sir Nicky Winton faleceu tranquilamente esta manhã", indica um comunicado publicado no site do clube do qual Sir Winton era membro.

"O mundo perdeu um grande homem. Não podemos esquecer jamais a humanidade demonstrada por Sir Nicholas Winton ao salvar tantas crianças do Holocausto", reagiu o primeiro-ministro britânico David Cameron em sua conta no Twitter. "Ele sempre será um símbolo da coragem, de profunda humanidade e incrível humildade", declaru por sua vez o primeiro-ministro tcheco Bohuslav Sobotka, também no Twitter.

Condecoração

No ano passado, Sir Nicholas Winton recebeu a Ordem do Leão Branco, a mais alta distinção tcheca das mãos do presidente Milos Zeman. "Ele era um homem admirado por sua coragem", afirmou nesta quarta-feira. No final de 1938, o então jovem funcionário da Bolsa de Londres, Nicholas Winton foi para Praga a convite de um amigo que trabalhava na embaixada britânica. Ele pediu-lhe ajuda quando parte da Tchecoslováquia caiu nas mãos dos nazistas e que campos de refugiados foram criados.

Winton abriu um "escritório" em um hotel de Praga, recebendo pais judeus desesperados em colocar seus filhos em um local seguro. A tarefa era difícil: obter um visto para a Grã-Bretanha, encontrar para cada criança uma família adotiva e levantar fundos para o transporte por trem.

Como foi

Entre março e agosto de 1939, o britânico contribuiu para levar a seu país em oito trens 669 crianças. Um nono comboio, programado para partir em 3 de setembro com 250 crianças, foi bloqueado pela entrada da Grã-Bretanha na guerra e todas as crianças desapareceram.

Winton considerava que não tinha feito nada de excepcional, embora a imprensa tenha o apelidado de o "Schindler britânico", em referência ao industrial alemão Oskar Schindler, que salvou 1.200 judeus no Terceiro Reich.

Ordenado cavaleiro pela rainha Elizabeth II no final de 2002, Sir Nicholas Winton recebeu muitos outros prêmios por seus atos, incluindo a Ordem Tomas Garrigue Masaryk (uma das mais altas distinções tchecas) em 1998 e o título de "Herói britânico do Holocausto ", em 2010.

Escrito por:

France Press