Publicado 15 de Julho de 2015 - 21h11

Por Adriana Leite

As agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de Campinas continuam com os serviços suspensos em decorrência da greve dos servidores da Previdência Social. Os trabalhadores cruzaram os braços há dez dias e ainda aguardam uma proposta do governo para decidir se voltam ao trabalho.

Na região de Campinas, outras agências funcionam de forma parcial, como em Hortolândia e Cosmópolis. Nesta quinta-feira (16), as lideranças sindicais que representam a categoria fazem um ato em frente a agência localizada em Americana. A unidade funciona parcialmente e é provável que os funcionários não trabalhem nesta quinta.

Na lista de reivindicações estão melhores condições de trabalho, reposição das perdas inflacionárias dos últimos cinco anos (27.3%) e abertura de concurso público.

A representante da direção Regional do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência no Estado de São Paulo (SinsPrev), Natalia do Nascimento, afirmou que o governo se reuniu com as lideranças sindicais no começo desta semana, mas não houve acordo. “O governo ficou de entregar uma outra proposta. No dia 21, várias categorias de servidores federais terão uma reunião no Ministério do Planejamento e acredito que até esse encontro a greve deve continuar”, disse. 

Ela afirmou que os servidores das três unidades do INSS em Campinas estão em greve. A Previdência Social informou que no Estado de São Paulo 73 agências tiveram atendimento parcial ontem e outras 20 estavam paralisadas.

O órgão também informou que os segurados que possuam agendamento para atendimento em uma Agência da Previdência Social (APS) e que não sejam atendidos em razão da paralisação dos servidores terão a data de atendimento remarcada pela própria APS e o segurado poderá confirmar a nova data ligando para a Central 135 no dia seguinte à data originalmente agendada para atendimento.

Escrito por:

Adriana Leite