Publicado 15 de Julho de 2015 - 16h48

Por Patrícia Penzin

Representação do céu

Divulgação

Representação do céu

Pare o que você estiver fazendo no anoitecer de sábado (18) e olhe para o céu. Um raro fenômeno resultado da conjunção dos planetas Vênus e Júpiter, da Lua e da estrela Regulus formará no firmamento uma cruz. Alinhados, os astros formarão um falso Cruzeiro do Oeste. “É um balé cósmico que combina vários fatores: a Lua orbita ao redor da Terra, Júpiter tem uma órbita de 11 anos e a de Vênus, que é de pouco mais de 260 dias, além da distante estrela Regulus. Essa geometria celeste é que causa essa configuração”, explica o astrônomo Julio Lobo, do Observatório Municipal Jean Nicolini, de Campinas.

O evento é chamado de “A Noite dos Três Cruzeiros” porque apenas neste dia estarão visíveis no céu o Cruzeiro do Sul verdadeiro, o Falso (formado pelas constelações de Pupis e Karina) e o Cruzeiro do Oeste. O fenômeno é tão raro que a última vez que o mundo presenciou um show como esse foi no dia 6 de junho de 1943. E o melhor de tudo é que o espetáculo é visível a olho nu.

Representação do céu

 

Durante esta semana, já foi possível observar que o planeta Vênus se exibe de forma exuberante no céu logo ao anoitecer. Depois do Sol e da Lua, Vênus é o astro mais brilhante. “Ele reflete a luz do Sol, tem quase o mesmo tamanho da Terra e uma camada de nuvem da alta atmosfera, por isso brilha tanto”, completa Lobo. Um deleite para quem gosta de observar os astros.

O Observatório estará fechado na noite de 18 de julho porque o fenômeno é observado a olho nu e porque a localização do prédio não permitirá a sua visualização. Existe uma floresta de eucaliptos que impede uma visão do horizonte oeste. Tudo o que a pessoa precisa fazer é olhar para o céu na direção oeste (onde o sol se põe) assim que anoitecer. Na região de Campinas, a observação fica perfeita até, no máximo, as 19h15. “A pessoa pode transformar o local onde está em um observatório. Convide os amigos, faça uma festa e divirta-se”, incentiva o astrônomo.

Próximas chances

Quem não conseguir observar agora, só terá uma nova chance em 25 de junho de 2039 e em 2 de setembro de 2062, já que o fenômeno só voltará a se repetir em 24 anos. "É uma chance única, sem dúvida um belo espetáculo para ser visto. E a conjunção de 2039 não será tão favorável e nem tão bonita porque os astros não estarão tão baixos quanto agora e a formação não ficará tão bacana”, afirma.

Dia 31 de Julho tem Blue Moon no Observatório

Este ano teremos 13 luas cheias e o Observatório terá, no próximo dia 31, uma sexta-feira, um evento especial para observação da Lua. “Este mês teremos duas luas cheias, no dia 31 teremos Food Truck para observar a Blue Moon”, conta Lobo. Quando a Lua aparece pela segunda vez em um mês, é chamada de Blue Moon.

Neste dia, além de observar a lua cheia, os visitantes poderão fazer lanches servidos em caminhões que levam vários tipos de guloseimas e bebidas aos lugares mais remotos. O evento costuma reunir público recorde no distrito de Joaquim Egídio. No último domingo, mais de 1,7 mil pessoas foram até o local para observar os astros e degustar delícias.

O astrônomo conta que algumas dicas são importantes para que o passeio seja aproveitado. “Pedimos que os visitantes não usem lanternas dos celulares e tenham paciência com as filas”, diz . O Jean Nicolini dispõe de três telescópios e as filas são inevitáveis. No entanto, durante a espera, é observar o céu a olho nu. Lobo percorre as filas, reúne grupos de 10 visitantes e dá um pocket show sobre o que observar o céu a olho nu, mostrando onde estão as principais estrelas e constelações. “Nas noites de lua cheia, o brilho excessivo da lua ofusca a observação da Via Láctea”, ressalva o astrônomo.

 

Dicas

Escrito por:

Patrícia Penzin