Publicado 11 de Julho de 2015 - 13h54

Público aproveitou evento durante o feriado

Divulgação

Público aproveitou evento durante o feriado

Cerca de 1,5 mil campineiros desafiaram a fria noite da última quinta-feira e subiram até a sede do Observatório Municipal Jean Nicolini, no Pico das Cabras, em Joaquim Egídio, para participar do 1º Food Truck nas Estrelas. O evento, que terá uma segunda edição neste domingo (12), a partir das 17h, contou com observações e alimentos típicos do Inverno.

A maciça presença de público surpreendeu os organizadores e foram registrados congestionamentos na estrada vicinal conhecida como Capricórnio, desde o distrito, e problemas no estacionamento. Muitos reclamaram da demora em poder visualizar o espaço nos telescópios. Para ir embora,os motoristas tiveram que usar uma rota alternativa porque os dois lados da estrada foram usados como estacionamento, dificultando o acesso e a saída dos veículos.

O astrônomo Júlio Lobo, que há 38 anos trabalha no observatório, disse que o público que compareceu ao evento foi o maior desde a aparição do cometa Halley, em 1986, que chegou a reunir 10 mil campineiros no Pico das Cabras e contou até com a intervenção de cinco viaturas da Tropa de Choque de Campinas.

A maior parte do público que compareceu, acredita Lobo, era principiante e, segundo o astrônomo, ficou encantado ao poder observar os planetas e as estrelas. 

Como o tempo na primeira noite do 1º Food Truck nas Estrelas só limpou por volta das 21h, o maior dos telescópios colocados à disposição do público, com espelho de 60 centímetros e que permite uma visualização de 4 bilhões de anos-luz, só foi aberto nesse horário.

Filas de até cem pessoas foram registradas. O público do 1º Food Truck nas Estrelas permaneceu até 1h no local.

Os aparelhos permitiram boas visualizações de Alfa Crucis, Ruby Crucis, Saturno, Júpiter e o aglomerado Caixinha de Joias.

As estudantes Denise Marques Calsavani, de 21 anos, estava encantada em poder ver o espaço no equipamento e disse que pretende voltar outras vezes. “Nunca vim aqui e estou emocionada. É muito bonito.”

Sua colega Amanda Fontanetti, de 22 anos, aproveitou para elogiar a iniciativa do observatório municipal. “Faltam espaços em Campinas para esses tipos de eventos. O pessoal aqui está de parabéns".